Importante é que obra da Linha 5 continue, diz Alckmin

Após a denúncia do Ministério Público contra 14 representantes de empresas suspeitas de fraudar licitação da construção da Linha 5-Lilás do Metrô, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) afirmou ontem que o mais importante é que as obras continuam. "Nós somos favoráveis à total investigação. Que não fique nenhuma dúvida. Agora, paralisar, punir a população em razão dessa denúncia não tem sentido. Então, entendo que o Tribunal de Justiça agiu corretamente (ao derrubar liminar que impedia a continuidade das obras)", disse Alckmin, durante evento em que assinou autorização para a retomada das obras da Linha 4-Amarela.

ARTUR RODRIGUES, O Estado de S.Paulo

25 Março 2012 | 03h03

Na sexta-feira, o Estado revelou que o Ministério Público acusou os diretores das empreiteiras de fraude e formação de cartel, com objetivo de combinar os resultados da licitação que escolheu quem construiria seis dos oito trechos da ampliação da linha. O governador defendeu "punição exemplar", caso seja constatada culpa dos investigados, e ressaltou a importância da Linha 5. "É muito importante para a logística de transporte da cidade", afirmou. Hoje, a linha vai do Capão Redondo até o Largo 13 de Maio. A previsão é de que até 2015 chegue à Estação Chácara Klabin da Linha 2-Verde.

"A denúncia refere-se exclusivamente aos diretores das empreiteiras. O governo do Estado tem uma posição muito clara de colaborar com as investigações, tudo tem de ser investigado, mas entendo que as obras devem continuar. E não só nós: 25 desembargadores, por unanimidade, disseram que as obras têm de continuar", disse o presidente do Metrô, Sérgio Avelleda. Ele ressaltou que, caso sejam comprovadas as denúncias, é possível reaver o valor investido.

Promotor. O promotor Marcelo Batlouni Mendroni disse que não encontrou indícios de participação de funcionários do Metrô no esquema. A Justiça Estadual deve levar pelo menos um mês para decidir se aceita a denúncia.

O promotor afirma ainda que, se condenados, os responsáveis pelas empresas devem pagar apenas multas. "Qual é o cálculo que o empresário faz? 'Se eu fraudar 5, 10 ou 20 licitações, vou receber um bolo de dinheiro. Se me pegarem em uma, tenho de pagar uma multa'."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.