Implosão de prédio da TAM destrói três edículas

Proprietários tinham sido alertados sobre o risco de desabamento e devem ser indenizados

Paulo R. Zulino, do estadao.com.br,

05 de agosto de 2007 | 18h20

Três edículas situadas nos fundos de imóveis na Rua Baronesa de Bela Vista foram destruídas em razão da implosão do prédio da TAM Express neste domingo, 5, de acordo com a Defesa Civil do Município de São Paulo. Como estavam muito próximas do edifício, as construções não resistiram aos explosivos. Segundo a Defesa Civil, os proprietários das casas, que tinham sido alertados sobre o risco de desabamento antes da operação, deverão ser indenizados.     Veja também:    Maiores desastres da aviação brasileira  Cronologia da crise aérea  Quem são as vítimas do vôo 3054  Tudo sobre o acidente do vôo 3054        Apesar da liberação da Avenida Washington Luís, três ruas na área do prédio da TAM  (Baronesa de Bela Vista, Barão de Suruí e Otávio Tarquínio de Souza) ainda permanecem interditadas. O bloqueio tem o objetivo de permitir a movimentação dos caminhões que carregam os entulhos do edifício.    A Defesa Civil acrescentou que os 22 imóveis que ainda estão interditados deverão ser liberados nos próximos dias, porque a liberação ainda depende de vistorias que precisam ser feitas com a presença dos respectivos proprietários. Ao longo da semana, eles deverão ser avisados da inspeção.   Os escombros do prédio da TAM Express, que sobraram após o acidente com um Airbus A320 da empresa no dia 17 de julho, foram implodidos com 75 quilos de explosivos. Às 15h30, após se ouvir o som de sirenes, as dinamites foram detonadas e o complexo do prédio, onde funcionava a unidade de cargas da TAM, foi abaixo.   O vôo 3054 da TAM, após uma tentativa de pouso fracassada no Aeroporto de Congonhas, fez um vôo rasante sobre a Avenida Washington Luís, via de alto tráfego, e acabou colidindo contra o prédio da TAM Express e explodindo. O Airbus, envolvido no pior acidente da história da aviação brasileira que deixou 199 mortos, fazia o vôo de Porto Alegre a São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.