Impasse na Justiça e desgaste de Haddad devem continuar

Trata-se de uma excelente notícia para o contribuinte, mas ele deve se preparar para uma longa briga jurídica, que não será resolvida no Tribunal de Justiça. A Prefeitura de São Paulo ainda pode derrubar a liminar com um recurso, mas será necessária a análise do mérito mais adiante. Por enquanto, o contribuinte continua sem saber ao certo quanto vai pagar de IPTU em 2014, e a Prefeitura sem saber a receita que terá com o tributo.

ANÁLISE: Fernando Zilveti, professor da escola de administração de empresas da FGV, O Estado de S.Paulo

12 Dezembro 2013 | 02h04

Na minha visão, o prefeito Fernando Haddad embarcou numa "furada" ao querer resolver a questão do subsídio do transporte coletivo com o aumento do IPTU, como ele mesmo disse. Ninguém comprou essa versão, até porque o dinheiro a ser arrecadado não tem destinação carimbada para o transporte, e pode ser usado, por exemplo, para pagar salários de vários cargos de confiança da Prefeitura.

Inevitavelmente, o prefeito já colheu uma enorme rejeição por causa do reajuste e deve continuar a sofrer desgaste constante, por causa do impasse na Justiça, que deve continuar a ocupar o noticiário em 2014.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.