IML diz que estudante que atropelou frentista estava bêbado

Carro invadiu posto de combustíveis, atropelou o frentista e bateu contra uma bomba e outro veículo

Brás Henrique, O Estado de S. Paulo

22 de fevereiro de 2008 | 12h24

O laudo do Instituto Médico-Legal (IML), de Ribeirão Preto, confirmou que o estudante Caio Meneghetti Fleury Lombardi, de 19 anos, estava embriagado, na noite do dia 11, quando atropelou o frentista Carlos Alaetes Pereira Silva, de 37 anos.    Veja o vídeo      O laudo chegou ao delegado do 4º DP, Luiz Geraldo Dias, nesta sexta-feira, 22, e aponta que Lombardi teria ingerido 0,85 gramas/litro de álcool, enquanto o máximo permitido seria de 0,60 g/l. Outro laudo, do Instituto de Criminalística de São Paulo, apontou que os cinco frascos encontrados no carro do estudante eram mesmo de lança-perfume. O laudo para saber se Lombardi ingeriu a droga ainda não ficou pronto.   Dias pedirá, ao final do inquérito, a suspensão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), devido à embriaguez, além de solicitar que o autor do delito pague as despesas hospitalares da vítima. O estudante deverá ser ouvido na próxima semana. Lombardi, ao comemorar aprovação em vestibular de direito, atropelou o frentista Silva, derrubando até a bomba do posto de combustíveis. Silva está internado, mas já não corre perigo.

Tudo o que sabemos sobre:
atropelamentoRibeirão Pretofrentista

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.