Daniel Teixeira/AE
Daniel Teixeira/AE

Imigrantes terá comboio improvisado

Após engavetamento com 1 morto, Polícia Rodoviária planeja reduzir a velocidade na subida, em dias de neblina, usando escolta

Felipe Frazão, O Estado de S.Paulo

17 de setembro de 2011 | 00h00

Um dia após o engavetamento de veículos que matou um caminhoneiro no sentido São Paulo da Rodovia dos Imigrantes, em São Bernardo do Campo, a Polícia Rodoviária Estadual recomendou o uso de viaturas para controlar o fluxo de veículos na subida para a capital. A tática está sendo chamada de "falso comboio".

A concessionária Ecovias também prometeu aperfeiçoar o sistema - atualmente, a Operação Comboio só é adotada na descida da Serra do Mar e a concessionária informou ser contra ampliações. "Tudo o que puder ser feito para aperfeiçoar e melhorar esse sistema vai ser feito", ressaltou o governador Geraldo Alckmin em entrevista à Rádio Estadão ESPN.

A proposta de comboio improvisado prevê que carros da polícia ou da Ecovias tomariam a dianteira dos veículos em movimento e, ao seguirem em baixa velocidade, reduziriam as chances de freadas bruscas. O "falso comboio" deverá ser empregado sempre que houver acidente ou nevoeiro forte. "A subida tem características próprias, não tem um ponto de estanque (para segurar os carros) como na descida", observa o comandante de policiamento rodoviário da área, coronel Jean Charles.

Improviso. As três pistas da subida para a capital foram liberadas somente às 11h25 de ontem, 22 horas após o acidente. Em seguida, um comboio liderado por três viaturas da Polícia Rodoviária foi improvisado com dezenas de motos e centenas de carros.

O resgate pelos guinchos varou a madrugada. O caminhoneiro José Cezar, de 60 anos, ignorou os dois dedos fraturados - um na mão esquerda e outro no pé direito - para acompanhar o reboque de sua carreta. "Isso aqui virou um caos total. Eu fiquei dentro da cabine depois que bati e escutava o barulho de outras batidas. Era uma praça de guerra, uma praça de guerra."

Em nova contagem, o coronel Charles disse que 300 automóveis estavam "no bolo" do engavetamento, mas só 89 veículos sofreram danos. Dos motoristas, 60 registraram boletim de ocorrência. Ao todo, 29 pessoas ficaram feridas. Duas seguem internadas, em estado grave.

Câmeras. A polícia ainda vai investigar as causas do acidente na estrada. As câmeras de segurança da Ecovias não registraram praticamente nenhuma imagem que ajude a revelar como as batidas começaram, por causa da baixa visibilidade. O Sistema Anchieta-Imigrantes registrou 3.827 acidentes de janeiro a agosto, segundo dados da concessionária - no mesmo período de 2010 foram 4.345. Entretanto, a quantidade de mortes só nos primeiros oito meses deste ano já é de 77, ante 100 em todo o ano passado. /COLABORARAM CIDA ALVES e TIAGO DANTAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.