'Imagina o que não fazem com um anônimo?', diz Gentili sobre confusão com policiais no 'CQC'

Humorista afirma ter sido agredido pela Guarda Civil de São Bernardo enquanto gravava matéria para programa; Corregedoria da GCM da cidade vai apurar o caso

Eduardo Roberto, do estadão.com.br

29 Junho 2010 | 19h47

 

SÃO PAULO - "Se eles fazem isso com duas câmeras gravando, imagina o que não fazem com um anônimo?", disse ao estadão.com.br o humorista e repórter Danilo Gentili nesta terça-feira, 29. Ele afirma ter sofrido agressão por policiais durante a gravação do quadro "Proteste Já" do "CQC" da Band, na terça passada, 22. A confusão se deu com a Guarda Civil Metropolitana (GCM) da cidade de São Bernardo do Campo, no ABC paulista. O quadro foi ao ar na noite de ontem.

 

Após conversar com todos os entrevistados, a equipe se dirigia para fora de uma escola quando foi abordada por cinco guardas municipais, que diziam que eles não poderiam sair do local, e que seriam levados à delegacia. "Até então eu estava rindo, levando na brincadeira. Mas depois que eles me puxaram para dentro da escola de novo começaram a agir com truculência, torcendo o meu braço", afirmou o humorista. Segundo ele, a agressão deixou marcas: "Fiquei uns dois dias sentindo dores para dormir."

 

O bate-boca durou cerca de uma hora, e até o Diretor da Guarda Civil de São Bernardo chegou até o local, e acompanhou os envolvidos na confusão até o 3º Distrito Policial da cidade. O humorista foi detido, mas acabou liberado no mesmo dia.

 

Os integrantes da GCM afirmam que foram desacatados, e por isso deram voz de prisão. Gentili reconhece que xingou os guardas, mas só depois que o empurraram para dentro da escola. "Mesmo assim, isso ainda é abuso de autoridade", justifica.

 

O humorista e a Rede Bandeirantes estudam maneiras de processar a GCM de São Bernardo. "Mexer com a Justiça é sempre um saco, mas, dessa vez, não vou deixar passar."

 

CORREGEDORIA

 

O Secretário de Segurança Urbana e Comandante da Guarda Civil de São Bernardo, Benedito Mariano, classificou como "desinteligente" a atuação dos guardas no incidente. O secretário também disse que a Corregedoria Geral da Guarda Civil abrirá um processo de apuração para avaliar a ação da corporação no caso.

 

A Corregedoria ainda fez um requerimento à Band, solicitando a íntegra das imagens gravadas durante a confusão. "A matéria que foi ao ar foi muito editada. É a partir da íntegra das imagens que poderemos tirar uma conclusão concreta sobre o caso", afirmou Mariano.

 

AUDIÊNCIA

 

O "CQC" que foi ao ar ontem registrou 7 pontos de média audiência. Além da matéria de Danilo Gentili, o programa também contou com a cobertura da Copa Mundial de Futebol e um "CQTeste" com participação do cantor Caetano Veloso.

 

Gentili afirma que "ficou feliz com a audiência, porque o trabalho foi legal". "Nós fomos fazer uma denúncia mas acabamos fazendo duas."

 

Esta a segunda vez que o programa atinge essa marca - a primeira foi em 2008. O resultado deixou a Band em segundo lugar no Ibope, atrás apenas da TV Globo. "A gente já vinha tendo boas audiências nas últimas semanas. Desde o começo do ano já prevíamos que, com a Copa, teríamos um programa forte", disse o humorista.

 

Uma das características do "CQC" é a sua forte repercussão na internet, especialmente no Twitter. Ontem, durante a transmissão, o programa conseguiu se emplacar como um dos assuntos mundialmente mais comentados da rede social. "O melhor é que todo mundo nos defendeu, só vi um ou outro fazendo piada", comenta Gentili.

 

Confira a matéria que foi ao ar nesta segunda-feira, 28, no "CQC:

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.