Imagens podem apontar alunos que depredaram colégio no centro de SP

Ato foi realizado na última quarta-feira, 12, sem motivo aparente; direção da escola acionou a PM e sete alunos foram levados a uma delegacia

Gheisa Lessa, O Estado de S.Paulo

13 Setembro 2012 | 12h42

SÃO PAULO - Uma equipe da Diretoria Regional de Ensino Centro avaliou na manhã desta quinta-feira, 13, as câmeras de segurança da Escola Estadual de São Paulo, na região central da capital paulista, depois que sete alunos acusados de depredação do colégio foram levados a uma delegacia. O caso foi registrado na 1ª Central de Flagrantes, na zona leste da capital.



De acordo com a Secretaria da Educação do Estado, as imagens apuradas devem relevar mais estudantes envolvidos no ato. A diretoria do colégio deve concluir até a próxima sexta-feira, 14, um levantamento para apontar a quantidade de materiais destruídos, além de apontar uma lista daqueles que devem ser repostos.


A depredação realizada na última quarta-feira, 12, foi realizada sem motivo aparente e, por volta das 17h43, a direção da escola acionou a Polícia Militar. Conforme informações do órgão, os alunos continuaram com o vandalismo mesmo com a chegada dos agentes. A PM registrou a ocorrência como dano material.


Apenas sete alunos foram identificados e levados, acompanhados de seus pais, até a delegacia onde houve registro do caso. Nenhum delegado foi encontrado na 1ª Central de Flagrantes pelo Estadão.com.br para informar como foi registrado o Boletim de Ocorrências. 


Até as 12h desta quinta, a Secretaria de Segurança Pública também não havia registrado nenhuma informação oficial sobre o incidente. A Secretaria de Educação, no entanto, informa que os alunos, todos menores, devem responder por dano ao patrimônio público.


As aulas do período noturno de ontem, assim como as da manhã de hoje, não foram canceladas. O Conselho de Escola deve se reunir até o fim da próxima sexta para decidir quais medidas disciplinares serão adotadas em relação aos alunos envolvidos.

Mais conteúdo sobre:
VandalismoescolaSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.