DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO

Imagens mostram sequestradores simulando entrega de encomenda

Tecnologia ajudou a desvendar crime; cativeiro da sogra do chefe da Fórmula 1, liberada no domingo, ficava em Cotia

Alexandre Hisayasu e Fabio Leite, O Estado de S.Paulo

01 Agosto 2016 | 18h30

Os suspeitos do sequestro de Aparecida Schunck, Vitor Oliveira Amorim e Davi Vicente, foram identificados e presos graças às imagens de câmeras de segurança. Os equipamentos filmaram os dois momentos antes de invadirem a casa dela, em Interlagos, na zona sul. Eles se passaram por entregadores e, como a vítima esperava uma encomenda, abriu a porta para a dupla.

Jorge Eurico da Silva, suspeito de liderar o crime, foi o terceiro preso na madrugada desta segunda-feira. Ele é piloto de helicóptero e trabalhou para Bernie Ecclestone em eventos da Fórmula 1 quando o executivo vinha para o Brasil.

Os peritos também encontraram as digitais dos suspeitos no carro usado na fuga, que foi abandonado próximo à Rodovia Raposo Tavares, na região do Butantã, na zona oeste. Por meio das digitais, foi possível chegar à identidade deles.

Amorim foi preso em casa, em Cotia, na Grande São Paulo, e levou os investigadores até o cativeiro, que ficava na mesma cidade. Vicente foi preso no local vigiando a vítima.

O secretário de Segurança Pública, Mágino Alves, disse nesta segunda-feira, 1º, que a tecnologia e o empenho do serviço de inteligência da polícia foram fundamentais para identificar os bandidos que participaram do sequestro de Aparecida Schunck, de 67 anos, libertada no domingo, depois de nove dias em cativeiro. Aparecida é sogra do chefe da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, de 85 anos. 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.