Polícia Federa/Divulgação
Polícia Federa/Divulgação

Imagem furtada do século 17 é recuperada após 20 anos

Retirada de capela em São Roque, peça de Nossa Senhora do Rosário estava em um antiquário na região de Campinas; objeto pertenceu ao Barão de Piratininga e a Mário de Andrade

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

29 Janeiro 2015 | 17h10

SOROCABA - Uma imagem de Nossa Senhora do Rosário esculpida no século 17 e furtada há 20 anos da Capela de Santo Antônio, em São Roque, interior de São Paulo, foi recuperada nesta quarta-feira, 28, pela Polícia Federal em um antiquário de Jaguariúna, região de Campinas. A escultura, de valor inestimável, é tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

A peça de arte sacra ornava o altar da capela do Sítio Santo Antonio, que pertenceu a Fernão Paes de Barros, o Barão de Piratininga, e, mais tarde, ao escritor modernista Mário de Andrade. O conjunto é tombado pelo Iphan desde 1947.

O desaparecimento da imagem foi notificado ao Instituto e a escultura, inscrita no banco de dados de peças subtraídas do patrimônio cultural brasileiro. Após obter informações sobre o paradeiro da escultura, o Iphan pediu apoio à Polícia Federal de Campinas, que localizou a obra de arte e obteve um mandado judicial para sua apreensão.

O antiquário alegou que a imagem havia sido deixada em consignação por um comerciante para ser vendida. Na residência do comerciante, a PF encontrou dois anjos tocheiros que também podem pertencer ao patrimônio nacional. Ele alegou que recebera as peças de um empresário de São Paulo como pagamento de dívidas. A versão será investigada. A imagem de Nossa Senhora do Rosário vai passar por perícia e terá seu destino decidido pela Justiça Federal.

Mais conteúdo sobre:
São Roque Nossa Senhora do Rosário

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.