REGINALDO PUPO/ESTADÃO
REGINALDO PUPO/ESTADÃO

Ilhabela sofre com apagões e falta d’água

Blecaute de duas horas na segunda-feira fez turistas do litoral norte de São Paulo adiantarem retorno ou mudar plano de férias

Reginaldo Pupo, Especial para o Estado

04 Janeiro 2017 | 03h00
Atualizado 04 Janeiro 2017 | 20h15

ILHABELA - O excesso de turistas que passam as férias em Ilhabela, no litoral norte de São Paulo, vem provocando, desde o dia 23, a falta d’água em diversos bairros e praias. Além disso, moradores e turistas também vêm se queixando de diversos apagões. O maior deles aconteceu na noite de segunda-feira, 2, por cerca de duas horas. O blecaute também provocou desabastecimento, porque os equipamentos utilizados pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) para bombear a água falharam.

Mesmo à noite, a região do litoral norte vem registrando altas temperaturas. Sem água, ar condicionado ou ventiladores, alguns turistas decidiram antecipar o retorno às cidades de origem. A fila da balsa para sair de Ilhabela, na noite de segunda-feira, era de 3 horas. “Sem água para tomar banho não dá. E com esse calor fica impossível permanecer por aqui”, disse a veterinária Jaqueline Mendes, de 39 anos, que iria inicialmente ficar em Ilhabela até sexta.

A fotógrafa Jessica Aquino, de 23, também antecipou a saída. Nesta terça, ela buscava na internet outro destino turístico. “Aluguei casa para toda a semana, mas a energia vem caindo toda hora e a água é bem escassa”, queixou-se.

Lentidão. A quantidade de turistas vem provocando congestionamentos em toda a ilha, que tem apenas uma avenida que liga o arquipélago de norte a sul. Trechos que normalmente são percorridos em 15 minutos vêm sendo feitos em duas horas, prejudicando serviços de emergência, como Polícia Militar e Samu. Moradores se queixam ainda das filas em bancos, supermercados, postos de combustíveis e de caixas eletrônicos que não são abastecidos com dinheiro, pois os carros-fortes ficam preso no trânsito na Rio-Santos, entre Caraguatatuba e São Sebastião.

Em nota, a Sabesp explica que "houve sim falta de água em pontos localizados e não em toda a ilha, como sugere a matéria. Na realidade, ocorreram, em média, 20 reclamações por dia, todas atendidas com caminhão pipa, numa população de cerca de 100 mil pessoas (triplo da população usual da Ilha)." 

A Elektro, concessionária de energia em Ilhabela, informou que a interrupção no fornecimento na noite de segunda-feira foi de responsabilidade da Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista (Cteep). A causa, segundo a Elektro, foi um defeito na Subestação São Sebastião.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.