Marco Yamim/Divulgação
Marco Yamim/Divulgação

Ilhabela quer abolir uso de máscara para 'temporada de verão 100%'

Medida contraria decreto estadual que obriga o uso do protetor facial contra a transmissão da covid-19

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

06 de novembro de 2021 | 10h00

SOROCABA – O prefeito de Ilhabela, Toninho Colucci (PL), anunciou na sexta-feira, 5, que vai publicar decreto na próxima semana extinguindo a obrigatoriedade do uso de máscara em locais abertos. Conforme divulgou sua assessoria, o prefeito considera que a pandemia está controlada na cidade e ele quer Ilhabela “100% normal” para a temporada de verão. A medida contraria decreto estadual que obriga o uso do protetor facial contra a transmissão da covid-19, sob pena de multa. O governo paulista estuda liberar o uso de máscara apenas em dezembro.

Para Colucci, as ações da administração no enfrentamento da covid-19 permitem o novo avanço. “As pessoas nas ruas já não têm usado as máscaras com a mesma frequência, pois sabem que a pandemia na cidade está controlada: 92% da população estão vacinados com a primeira dose e 82% com a segunda dose”, disse. Ele afirmou que a última morte pela doença na cidade foi registrada em setembro. “Já são mais de 40 dias sem internações pelo coronavírus”, afirmou o prefeito.

Segundo ele, o decreto será publicado assim que o comitê de enfrentamento da covid-19 analisar os dados referentes à pandemia e apresentá-los ao Ministério Público. Se houver a publicação, Ilhabela será a primeira cidade paulista a liberar o uso da máscara. “Estamos entre as três cidades com mais de 30 mil habitantes que mais vacinaram no estado de São Paulo e somos a que menos registrou morte per capita pela doença no Brasil”, destacou.

A liberação da máscara valerá para espaços abertos. O protetor facial continuará sendo obrigatório em restaurantes, transporte público, unidades de saúde e escolas. Com a retomada das atividades econômicas, o prefeito prevê a cidade com 100% de normalidade para a temporada de verão. “Vivemos do turismo, é a nossa indústria, o que gera emprego e renda para a nossa população. Voltar à normalidade é oferecer aos nossos visitantes o que eles deixaram de aproveitar nesses últimos dois anos”, disse.

O secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, que integra o comitê de enfrentamento à covid, disse que a exigência continua em vigor em todo o estado e que a regra é pautada nos dados sobre a doença em todo o território estadual. “As prefeituras devem seguir as normas definidas para todo o estado. O não uso da máscara em locais públicos prevê multa a ser aplicada pela Vigilância Sanitária”, disse. A multa é de R$ 552,71, podendo chegar a R$ 5.294,38 para o estabelecimento.

Tudo o que sabemos sobre:
Ilhabela [SP]coronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.