Márcio Costa/Divulgãção
Márcio Costa/Divulgãção

Igreja quer processar fotógrafo por imagens 'obscenas' em paróquia de Catanduva

Responsável pelas imagens está disposto a conversar com os representantes da igreja para pedir desculpas

Chico Siqueira - Especial para o Estado de S. Paulo,

07 de novembro de 2012 | 20h24

ARAÇATUBA - O bispo dom Otacílio Luziano da Silva, de Catanduva, no interior paulista, deve anunciar nesta quinta-feira, 8, as medidas contra o fotografo Márcio Costa, que postou no Facebook fotos de um modelo seminu no interior da Paróquia São Domingos, no centro do município.

A foto, feita sem autorização da igreja, mostra um homem apenas de sunga, com asas nas costas. Outra foto semelhante, também postada no Facebook, mostra o mesmo modelo, agora nu, com as mesmas asas nas costas, no cemitério da cidade.

As imagens já foram retiradas da rede pelo autor, mas mesmo assim, a igreja pensa em processá-lo por possíveis danos morais e acusá-lo penalmente. "Estamos decidindo e entre as alternativas está o ajuizamento de ações civil e penal. A primeira pedindo reparação de danos morais para não incentivar outros a repetir o mesmo ato", disse o advogado da Diocese de Catanduva, Flávio Thomé. Segundo ele, a medida definitiva, deverá ser divulgada na tarde desta quinta, em coletiva a ser dada por dom Otacílio.

O fotógrafo Márcio Costa disse à imprensa que as fotos são "artísticas" e foram tiradas em julho passado para uma exposição intitulada "Anjos Caídos", que seria preparada por ele. As fotos, segundo ele, foram baseadas no trabalho do fotógrafo francês David Lachapelle, que usa temas religiosos em suas fotos. Costa disse não saber que as imagens causariam tamanha repercussão e por isso está disposto a conversar com os representantes da igreja para pedir desculpas.

Mais conteúdo sobre:
igrejaCatanduva

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.