Igreja é local tradicional para pagar promessas

Sem a grandiosidade dos pontos turísticos mais visitados do Rio, como o Pão de Açúcar e o Cristo Redentor, a Igreja de Nossa Senhora da Penha é um cartão-postal que costuma ser admirado de baixo, apesar de sua enorme importância para os fiéis que sobem, de joelhos, os 382 degraus da escadaria que dá acesso ao santuário para pagar promessas.

, O Estadao de S.Paulo

20 Março 2010 | 00h00

Fundado em 1635, a igreja se transformou em um dos mais tradicionais locais de devoção religiosa da cidade e exerceu tanta influência sobre a região que batizou o bairro. "Todo o desenvolvimento da área se deu ao abrigo da Igreja da Penha", diz o padre Serafim Fernandes, reitor do santuário.

A criação da igreja é creditada ao capitão Baltazar de Abreu Cardoso, dono de terras da região. Ele teria erguido uma pequena capela no alto do morro, há 375 anos, para agradecer a intercessão de Nossa Senhora quando estava prestes a ser atacado por uma serpente. A construção simples, situada no topo do monte, passou a chamar a atenção dos moradores, que subiam até lá para agradecer pelas graças alcançadas. O acesso foi facilitado em 1819, quando foram talhados na pedra os famosos degraus da igreja.

Com o crescimento da popularidade do templo, a capela foi derrubada em 1870 para abrir espaço para um novo templo. Trinta anos depois, houve nova demolição, com a construção do prédio atual, maior e com dois campanários. Atualmente, devotos e turistas também podem subir até a igreja em um bondinho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.