Daniel Teixeira / Estadão
Daniel Teixeira / Estadão

Idoso morre após passar mal em abrigo para moradores de rua da Prefeitura de SP

Ainda não há informações sobre onde ele passou a noite e qual foi a causa do óbito; massa de ar frio derrubou a temperatura na capital paulista

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

18 de maio de 2022 | 11h20

Um idoso em situação de rua morreu nesta quarta-feira, 18, no núcleo de convivência São Martinho, na região do Belém, zona leste de São Paulo. A Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento informou que Isaias de Faria, de 66 anos, passou mal, logo depois de entrar no núcleo, por volta das 7 da manhã, quando  seria servido o café da manhã. 

A gerência do equipamento acionou Consultório na Rua e o SAMU, mas os profissionais de saúde não conseguiram reanimá-lo. De acordo com a prefeitura, essa foi a segunda vez que Isaías esteve no local. Não há registro de passagem dele pela rede de acolhimento socioassistencial. 

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública informa que a Polícia Civil vai investigar a causa da morte. "O caso foi registrado como morte suspeita pelo 8º Distrito Policial. Foi solicitado exame necroscópico à vítima para esclarecer todas as circunstâncias relacionadas aos fatos", diz a nota. 

Amigos afirmam que ele passou a noite dormindo na rua. O prefeito Ricardo Nunes (MDB) afirma que a morte pode ter relação com as baixas temperaturas. "Estava no abrigo São Martinho. Era um senhor. Não tem conclusão ainda, mas a informação preliminar é que teve uma convulsão, relacionado ao frio. Estamos aguardando o resultado oficial", disse ele.

O Núcleo San Martinho é um abrigo destinado para pessoas em situação de vulnerabilidade que é conveniado com a Prefeitura de São Paulo e administrado pelo Centro Social da Nossa Senhora do Bom Parto. O local oferece diariamente alimentação para pessoas em situação de rua, mas não permite pernoite. 

Nesta quarta-feira, 18, a cidade registrou a chegada de uma massa de ar frio. De acordo com a Climatempo, com 7,0°C às 6h da manhã, São Paulo registrou a menor temperatura do ano de 2022 na cidade. A estação convencional do Mirante de São Paulo  foi ainda mais fria e registrou 6,6°C de temperatura mínima. O recorde anterior era de 12,6°C, em 5 de maio. 

Isso fez a Prefeitura reforçar o atendimento aos moradores de rua, com a instalação de dez tendas temporárias de atendimento (as estruturas serão abertas sempre que a temperatura ficar abaixo dos 10ºC) e a criação de mais 2 mil vagas em abrigos para sem-teto - para além das 15.116 já existentes. 

Já o governo do Estado iniciou o acolhimento a pessoas em situação de rua na Estação Pedro II do metrô, na região central. Com capacidade para abrigar 100 pessoas, o poder estadual ofereceu jantar às pessoas por meio de uma unidade do Bom Prato Móvel.

Segundo o Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad), ligado à Defesa Civil Nacional, uma forte massa de ar polar avança pelo Sul e Sudeste. O frio intenso vai continuar nos próximos dias. 

Tudo o que sabemos sobre:
frioPrefeitura de São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.