Clayton de Souza/Estadão
Clayton de Souza/Estadão

Idosa morre após inalar fumaça tóxica de vazamento no Guarujá

Vítima apresentou náuseas, vômito e asfixia; ela havia sido internada, mas foi liberada e hospitalizada em outra unidade

Lucas Melo, Especial para o Estado

19 de janeiro de 2016 | 11h08
Atualizado 19 de janeiro de 2016 | 11h17

GUARUJÁ - Uma idosa de 68 anos, moradora do distrito de Vicente de Carvalho, no Guarujá, litoral sul de São Paulo, morreu nesta segunda-feira, 18, após ter inalado a fumaça gerada pelo vazamento de gás, na quinta-feira, 14. Segundo laudo da prefeitura de Jundiaí, onde Leia Magalhães de Maria estava internada, a morte foi consequência da inalação da fumaça tóxica.

Na quinta-feira, Leia, que morava no bairro Sítio Pae Cará, apresentou náuseas, vômito e asfixia após ter inalado o gás gerado pelo acidente na área da empresa Localfrio, na margem esquerda do Porto de Santos. Ela foi atendida em um hospital do Guarujá, mas foi liberada. 

Leia foi levada para Jundiaí por um de seus filhos que mora na cidade do interior. A idosa buscou atendimento com os mesmos sintomas no Hospital das Pitangueiras, onde recebeu cuidados médicos e foi liberada. 

Na segunda-feira, ela foi encaminhada ao hospital pelo Serviço de Atendimento Móvel (Samu) e teve a morte decretada por volta de 11 horas.

Um dos filhos da vítima registrou boletim de ocorrência no 6º Distrito Policial de Jundiaí, por morte suspeita. O enterro da idosa estava previsto para ocorrer às 10 horas desta terça-feira, 19, no Cemitério de Vicente de Carvalho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.