Idosa deu R$ 118 mil a golpistas; 4 foram presos

Quatro pessoas foram presas por estelionato depois que uma senhora de 75 anos procurou a Polícia dizendo ter pago R$ 118 mil a um curandeiro. Durante um mês e dez dias, a aposentada N.T.H. fez transferências para a conta bancária da quadrilha para custear o tratamento espiritual à base de uma "pomada milagrosa" para curar a doença de um sobrinho.

Cristiane Bomfim JORNAL DA TARDE, O Estado de S.Paulo

10 de novembro de 2010 | 00h00

O pagamento e as orientações para a cura ocorriam em uma sala de um prédio antigo na Rua Onze de Agosto, perto da Praça da Sé, no centro de São Paulo. Delmar de Souza Campos, de 35 anos, conhecido como Pai Delmar, Maria Bernadette Borelli, também de 35 anos, Klebber Deyvid Cabral, de 27, e Irlando Costa, de 50, foram presos em flagrante na manhã de segunda-feira por policiais do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (DEIC).

De acordo com o delegado titular da Delegacia de Estelionato do, Eduardo Gobetti, a aposentada foi abordada no bairro da Liberdade, no centro da capital, em 29 de setembro por uma mulher que disse que a conhecia e que sua patroa estava fazendo um tratamento com um pai de santo.

"A senhora, que tem uma pessoa doente na família, pediu o endereço do pai de santo e caiu na armação", explicou o delegado.

Transferências. O primeiro pagamento para curar o sobrinho foi feito pela idosa no valor de R$ 18,6 mil. Dias depois, ela foi convencida em transferir outros R$ 34,3 mil para eliminar definitivamente a doença. A última transferência foi no fim de outubro, no valor de R$ 61 mil. Como a cura não veio e o pai de santo pedia mais dinheiro, a aposentada procurou a polícia.

"Não há pomada milagrosa, carro mais barato, empréstimo em que se paga antes. Os estelionatários abusam da inocência das pessoas e das necessidades delas. Na dúvida, procure a polícia", aconselha Gobetti.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.