Identificação dos corpos de vítimas divide famílias

Na véspera da chegada à França dos 104 restos mortais de vítimas do voo AF 447, uma reunião em Paris ontem entre familiares dos mortos foi marcada por divergências. Enquanto as famílias brasileiras desejam que todas as vítimas sejam identificadas e entregues aos parentes, representantes alemães estão divididos - e alguns franceses também afirmam não querer que os restos mortais sejam identificados. Ontem, a França informou que a última, e bem-sucedida, fase de buscas custou 6 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.