Gabriela Biló
Gabriela Biló

'Ideia era fazer um frevo com sotaque paulistano', diz Alceu sobre bloco de rua

Em entrevista ao 'Estado', cantor fala sobre fundação do 'Bicho Maluco Beleza' no carnaval de São Paulo

O Estado de S.Paulo

04 Fevereiro 2018 | 03h00

Mesclando sucessos de estúdio e de carnaval, Alceu Valença comandou uma multidão nesta sábado, 3, que vestia as cores de Pernambuco. Bonecos de Olinda espalhados pelo bloco, centenas de chapéus de cangaceiro, guarda-chuvas de frevo e a bandeira de Pernambuco ajudaram a compor o ambiente do baile.

+++ Carnaval de rua em SP segue exemplo de escola de samba e se profissionaliza

Anunciação, Morena Tropicana e Voltei, Recife foram os hits mais festejados do cantor, que trouxe pela quarta vez o seu bloco Bicho Maluco Beleza para a capital paulista. Alceu dividiu o palco com Elba Ramalho. 

1. Por que o senhor veio para o carnaval de rua de São Paulo?

Eu sempre cantei na rua, desde que saí pela primeira vez com o meu bloco, em Olinda. Um grupo de amigos me chamou em 2015. A ideia era fazer um frevo com sotaque paulistano. Montamos então, o Bicho Maluco Beleza, o meu bloco de São Paulo.

2. São Paulo virou uma praça interessante?

Claro que sim. (O carnaval) está cada vez mais organizado. Eu me apresento em várias cidades nesta época, principalmente em Pernambuco, em Bezerros, no Recife e no Alto José do Pinho. E agora em São Paulo, divulgando o frevo pernambucano.

3. O senhor ganha cachê em São Paulo?

O carnaval de rua paulista expandiu o que chamamos de economia criativa, da qual os artistas estão integrados. Em São Paulo, o pagamento vem da divisão de cotas do patrocínio (Ambev, Uber, Engov, governo de Pernambuco e Heineken).

Mais conteúdo sobre:
Alceu Valença carnaval bloco de carnaval

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.