Idas e vindas favorecem alta

A repetição mês a mês dos aumentos nas taxas de roubo mostra que a Secretaria da Segurança Pública (SSP) parece não encontrar a estratégia mais adequada para enfrentar a alta permanente desse tipo de crime. A explicação da SSP de que a instalação das delegacias eletrônicas diminuiu a subnotificação deste tipo de crime não cola. Tanto que o roubo de carros, crime com baixíssima subnotificação por causa das exigências das companhias de seguro, aumentou 22,7%.

ANÁLISE: Bruno Paes Manso, blogueiro do Estadao.com.br, O Estado de S.Paulo

25 Fevereiro 2014 | 02h00

A inconstância das políticas de segurança parecem ser uma das explicações. Com a mudança de secretário, tudo parece ter recomeçado do zero. A nova gestão passou a dar ênfase ao plano de metas. O combate frente à frente contra o crime organizado, com apoio da Polícia Militar, também diminuiu o ritmo. Por um lado, a medida contribuiu para baixar os casos de resistência seguida de morte e a violência policial. Por outro, as atividades criminais parecem correr ativamente sem grandes percalços.

A falta de projeto consistente e as descontinuidades, postura que promove idas e vindas no combate ao crime, acabam favorecendo as articulações criminais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.