Ibirapuera terá festa mais 'família'; Rio prepara 'beijaço'

Carros poderão entrar no parque até as 18h; na Paulista, programação começa às 20h, com shows de Toquinho e NXZero

O Estado de S.Paulo

31 Dezembro 2013 | 02h33

Pela primeira vez, o Parque do Ibirapuera, na zona sul de São Paulo, também terá uma festa de réveillon, paralela à tradicional passagem na Avenida Paulista. A proposta da organização do evento é oferecer uma opção mais "família".

"O foco são famílias que procuram uma opção diferente, em um ambiente ao ar livre", explica a Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente. A programação começa às 20h. Serão mais de 5h de festa, com apresentações musicais. Claudio Zoli abre o palco para o grupo Demônios da Garoa, que deve comandar a contagem regressiva da meia-noite.

Durante os dez segundos, haverá uma apresentação especial da fonte multimídia instalada no parque, com projeções temáticas da capital paulista.

Os motoristas poderão entrar no parque pelos portões 2 e 10. Às 18h, a entrada de veículos será fechada. Os pedestres poderão acessar o parque até o encerramento dos shows, à 1h.

Paulista. Desde o réveillon de 1997, a festa da Avenida Paulista é a mais movimentada da cidade. O ator Luigi Baricelli será o mestre de cerimônias. "Eu sou 'paulista paulistano', então essa é uma forma de trabalhar, mas também de estar bem acompanhado, junto com 2 milhões de pessoas", afirma. "O réveillon na Paulista é um dos maiores do mundo e tem uma energia única."

A programação neste ano começa às 20h e deve terminar por volta das 2h30. Estão previstos shows de Sampa Crew, NXZero, Paulo Ricardo, Maurício Gasperini, Supla, Marcelo Bonfá, Toquinho, Fernando e Sorocaba, Baile do Simonal e a escola de samba Mocidade Alegre, campeã do carnaval de 2013.

Beijaço. No Rio, os cerca de 2,3 milhões de cariocas e turistas esperados em Copacabana, na zona sul, serão convidados a participar de um "beijaço" para celebrar a chegada do ano-novo. Durante os 16 minutos de fogos, que serão acompanhados por uma trilha sonora que sairá das 32 torres de som instaladas na praia, haverá um momento em que surgirão cem corações no céu. Nesse instante, a música será interrompida, para realçar o som do "smack".

"Vamos ter corações nos céus de Copacabana e uma trilha sonora especial para esse momento", explicou o prefeito Eduardo Paes (PMDB), que vistoriou ontem a montagem do principal palco de shows na praia, na altura do Hotel Copacabana Palace. / EDISON VEIGA, MÔNICA REOLOM e MARCELO GOMES

Mais conteúdo sobre:
2014reveillon

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.