Ibama
Ibama

Ibama incinera 10 toneladas de peixe podre abandonadas há cinco anos no Aeroporto de Guarulhos 

Empresas responsáveis pelo transporte da carga foram notificadas

Ana Paula Niederauer, O Estado de S.Paulo

30 Novembro 2017 | 15h08

Uma carga com 10 toneladas de peixe podre será incinerada na tarde desta quinta-feira, 30, em Mauá, na Grande São Paulo, pela Silcon Ambiental.

Segundo o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), o material ficou abandonado durante 5 anos em um contêiner refrigerado no Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP).

+++ Justiça determina prisão de 30 policiais civis por tráfico e ligação com PCC

De acordo com Lucas Tino, técnico do Ibama responsável pelas cargas abandonadas no aeroporto, os peixes estavam no local devido a um problema de conexão. A carga, oriunda do Chile, deveria desembarcar em São Paulo, mas foi enviada para o Rio de Janeiro.

Segundo Tino, a Nordsee, empresa responsável pelo produto, perdeu o interesse pela carga depois de ela ficar inapta ao consumo e a abandonou no terminal.

+++ MP cumpre mandados de prisão contra desvio de verbas da saúde no interior paulista

O Ministério Público entrou com pedido de parecer técnico ao Ibama, que constatou crime ambiental ao identificar o abandono da carga perecível.

De acordo com o Ibama, tanto a empresa Nordsee quanto a Latam, responsável pelo serviço de transporte, foram notificadas pelo MP e, por atenderem o prazo para a incineração da carga, não foram multadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.