Hotéis de SP ficam lotados após voos cancelados por cinzas de vulcão

Voos entre Brasil e 4 países sul-americanos foram suspensos devido à erupção do Peyehue-Caulle no Chile

Marcela Gonsalves, Estadão.com.br

07 de junho de 2011 | 19h37

SÃO PAULO - O porta-voz do Sindicato Nacional das Empresas Aéreas (Snea), Jorge Honório, afirmou na noite desta terça-feira, 7, que as empresas aéreas estão tendo problemas para acomodar os passageiros dos voos cancelados após os problemas causados pela nuvem de cinzas do vulcão chileno.

 

Veja também:

lista Conheça seus direitos em caso de cancelamento de voo

linkCinza vulcânica suspende voos entre Brasil e quatro países

 

Em São Paulo, os hotéis próximos ao Aeroporto Internacional de Guarulhos estão lotados. As empresas aéreas estão deslocando os passageiros afetados para hotéis na capital, em cidades do interior e até do litoral.

 

Por causa da resolução da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), elas são obrigadas a fornecer assistência aos passageiros prejudicados, mas a oferta de quartos não é suficiente.

 

Apenas em Guarulhos, pelo menos 19 voos que partiriam para cidades como Buenos Aires, Montevidéu, Lima e Santiago, foram cancelados. Não foi divulgado o número exato de passageiros afetados pelo problema.

 

Procuradas pela reportagem, as assessorias de comunicação da TAM e da Gol não foram localizadas para comentar as ações de auxílio aos passageiros. Mais cedo, porém, ambas divulgaram notas afirmando que prestariam assistência aos clientes prejudicados em relação à alimentação, hospedagem e remarcação das passagens sem custo adicional.

 

Uma pequena porção da nuvem de cinza do vulcão já atingiu o extremo sul do Brasil, na região de Uruguaiana. Segundo o meteorologista Marcelo Seluchi, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), na foto de satélite apareceu uma faixa fina da nuvem misturada com a nebulosidade da região.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.