Hospital confirma morte cerebral de menina baleada em SP

Colega pegou arma e disparou acidentalmente, pensando que estava descarregada na zona leste da cidade

Elvis Pereira, estadao.com.br

13 Fevereiro 2009 | 21h43

O Hospital Santa Marcelina confirmou nesta sexta-feira, 13, a morte da adolescente Andressa Brito, baleada acidentalmente por uma colega de 10 anos, na zona leste de São Paulo. A morte encefálica da menor foi confirmada após o terceiro teste. Em nota, o hospital informou que a família de garota autorizou a doação dos órgãos dela, o que deverá ocorrer na próxima madrugada.  Veja também: Garota baleada na cabeça por acidente tem morte cerebral O incidente ocorreu na tarde de quarta, 11, no Itaim Paulista. Andressa, de 14 anos, convidou a colega para ir a sua casa para mostrar o revólver do namorado, Josimário Oliveira, de 18 anos. Pensando que a arma estava descarregada, a menina de 10 anos puxou o gatilho e acertou Andressa na cabeça. À polícia, Oliveira contou que guardava a arma para um amigo, que não foi encontrado. O jovem foi preso.  A princípio, o hospital havia informado que a menina estava grávida, mas depois retificou em comunicado. Segundo a diretora técnica do hospital, Monique Bourget, "a paciente veio encaminhada do Hospital Municipal Tide Setubal em São Miguel, com relato de gravidez confirmado também pelos familiares, onde erroneamente passamos à informação confirmando a gravidez".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.