Hospitais mudam ponto de médicos após morte

Depois da morte cerebral de Adrielly dos Santos, de 10 anos, o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), assina hoje decreto que prevê ponto biométrico para controle de frequência dos médicos na rede municipal. A garota foi atingida na cabeça por uma bala perdida e levada para o Hospital Municipal Salgado Filho, mas a cirurgia não foi feita na hora porque o neurocirurgião de plantão faltou ao trabalho.

O Estado de S.Paulo

01 Janeiro 2013 | 02h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.