Divulgação <br>
Divulgação <br>

Hopi Hari reforça segurança após arrastão

Polícia investiga se houve convocação do ato pelas redes sociais; assaltos deixaram seis pessoas feridas

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

25 Setembro 2014 | 17h42

SOROCABA - Um dia depois do arrastão que envolveu pelo menos 50 jovens e deixou seis pessoas feridas, a direção do Hopi Hari anunciou ter reforçado a segurança contra esse tipo de incidente. Nesta quinta-feira, 25, o parque abriu normalmente, mas já contava com uma equipe de profissionais especializados para agir em caso de tumultos e ações criminosas coletivas.

Por causa do arrastão, o movimento no parque era menor que no dia anterior, quando 10,9 mil pessoas estavam no local. Os ataques ocorreram no final da tarde - as vítimas foram derrubadas, agredidas e tiveram furtados pertences como celulares, bonés, óculos e relógios.

De acordo com o delegado Carlos Renato Ribeiro, da Polícia Civil de Vinhedo, embora os tumultos possam ter relação com a presença dos funkeiros Mcs Bin Laden, Brinquedo e 2K no parque, a administração informou que a média de público era a mesma de um dia normal. "Ainda não sabemos se houve convocação pelas redes sociais, a exemplo do que ocorre com os 'rolezinhos' (ações organizadas nos shoppings), mas vamos investigar."

A polícia trabalha para identificar os autores, pois não havia câmeras no local onde ocorreram os ataques. Nesta quinta-feira, o delegado ouviu uma das vítimas do arrastão - um rapaz que reconheceu o único adolescente detido na confusão. O suspeito foi autuado por ato infracional e colocado à disposição da Justiça.

O delegado intimou o chefe da segurança do Hopi Hari para prestar depoimento e quer ouvir também o empresário dos funkeiros, Emerson Rodrigues, que teria alertado o parque para aumentar a segurança, já que os artistas costumam atrair muitos seguidores. Em nota, o Hopi Hari informou ter tomado conhecimento da visita dos músicos pelas redes sociais só na terça-feira. "Entramos em contato por telefone e por e-mail com o empresário dos músicos para confirmar a presença e informar os procedimentos de segurança do parque, infelizmente não houve o retorno solicitado nos contatos", informa a nota.

"Importante observar que os músicos chegaram ao parque acompanhados de seus seguranças particulares", acrescenta. O Hopi Hari informou não divulga o número de visitantes por questão de segurança, mas alegou que, apesar dos shows, o parque não recebeu um número de visitantes acima da média. De acordo com a nota, o serviço de segurança do parque agiu na medida em que as ocorrências se verificaram. "O efetivo de segurança é dimensionado de acordo com a previsão de público", informa.

O Hopi Hari informou ainda que acompanha as investigações e está à disposição da polícia para auxiliar a elucidar o caso. 

Mais conteúdo sobre:
Hopi Hariarrastão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.