Hopi Hari deverá reabrir sem o funcionamento de três atrações, prevê acordo

Torre Eiffel, Simulakron e West River Hotel ficarão fechados até cumprimento de adequações exigidas

Rosi Mary de Souza, especial para O Estado,

23 Março 2012 | 16h47

VINHEDO - Ana Beatriz Sampaio Silva Vieira, promotora de Justiça de Vinhedo, no interior de São Paulo, disse em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira, 23, que três brinquedos do Hopi Hari deverão permanecer interditados após a reabertura do parque neste fim de semana. Segundo ela, não há prazo para a desinterdição das atrações conforme o novo Termo de Ajustamento de Conduta (TAC).

A promotora afirmou que, após os 20 dias de vistoria no Hopi Hari, o TAC firmado entre o Ministério Público de São Paulo e a diretoria do parque prevê a interdição da La Tour Eiffel, onde a adolescente Gabriella Nichimura, de 14 anos, caiu no dia 24 de fevereiro, até que todas as normas de segurança sejam atendidas. A jovem, que estava no local com familiares, morreu.

A atração West River Hotel terá de se adequar às medidas Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) para voltar a funcionar e o brinquedo Simulakron terá um sistema de monitoramento por câmeras infravermelhas instalado antes de ser reaberto ao público.

Ana Beatriz não fez muitos comentários sobre o acidente, mas disse que uma falta de informação causou a falha fatal na cadeira que deveria estar inoperante e mesmo assim foi utilizada por Gabriella.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.