Homicídios voltam a cair em maio, mas latrocínios crescem em SP

Total de roubos seguidos de morte aumentou 18,49% em comparação aos cinco primeiros meses de 2010

Eduardo Roberto, estadão.com.br

27 de junho de 2011 | 18h04

SÃO PAULO - Voltou a cair o número de homicídios dolosos no mês de maio na capital paulista. De acordo com os dados divulgados pela Secretaria da Segurança Pública (SSP) nesta segunda-feira, 27, foram registrados 337 assassinatos em todo o Estado, 29 a menos que no mesmo mês em 2010, cerca de 7,9%. Já o total de latrocínios - roubo seguido de morte - cresceu nos primeiros cinco meses deste ano, indo de 119 para 141 casos, uma alta de 18,49%.

 

No mesmo período, foi registrada queda de 14,63% no número de homicídios dolosos no Estado. Em comparação a 2010, foram 290 mortes a menos - de 1.982 casos para 1.692. De janeiro a maio, os assassinatos na capital caíram 34%. A SSP não divulgou o número absoluto deste tipo de crime.

 

Com uma taxa de 9,73 crimes contra a vida para cada 100 mil habitantes, São Paulo ficou de fora da zona epidêmica da Organização Mundial de Saúde (OMS) pelo quinto mês consecutivo. A organização considera como aceitável a taxa de 10 mortes para 100 mil moradores. Desde 1999, segundo a SSP, esse número foi reduzido em 70%.

 

Roubos e estupros. Ainda de acordo com o balanço, houve aumento de 10,05% no registro de furtos gerais nos primeiros cinco meses no Estado. Segundo a SSP, o aumento estaria ligado ao fato de que a partir deste ano a Polícia Militar passou a fazer boletins de ocorrência para este tipo de crime. Antes, o registro cabia somente a Polícia Civil. O número de estupros também apresentou alta de 10,7% no mesmo período.

 

Notícia atualizada às 19h50.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.