Homicídios em Osasco crescem 150%

Depois dos ataques da quarta-feira, quando quatro pessoas foram mortas, sete baleadas e dois ônibus queimados, os moradores de Osasco e Carapicuíba, na Grande São Paulo, estão com medo de sair à noite. "Desde a morte de um policial militar, há dois meses, esse tipo de crime vem acontecendo direto nessa região", conta um morador de Osasco.

BÁRBARA FERREIRA SANTOS, O Estado de S.Paulo

20 de abril de 2013 | 02h02

Segundo a polícia, desde o dia 5 de fevereiro, um grupo de extermínio atua nas duas cidades. Ao todo, já foram 17 mortos e outros 20 baleados nos ataques. Para investigar a onda de violência, o delegado-geral da Polícia Civil, Maurício Blazeck, formou uma força-tarefa.

 

Violência. Osasco registrou crescimento de 150% nos homicídios entre o primeiro bimestre de 2012 e o deste ano. Já Carapicuíba teve uma queda de 30,8%. Para comparar, no mesmo período, tanto o Estado quando a capital paulista tiveram aumento de 15%.

Osasco teve 8 casos no ano passado e 20 neste ano. O número de vítimas saltou de 9 para 24. A diferença entre o total de casos e o de mortos indica aumento de ataques com várias vítimas. No ano passado, a cidade teve o maior número de homicídios desde 2010:87 casos. Em Carapicuíba, foram 13 homicídios no primeiro bimestre de 2012 e 9 em 2013. O número de vítimas caiu de 13 para dez.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.