Homens armados invadem ônibus e cortam correias dos motores em SP

De acordo com o secretário de transportes Jilmar Tatto, essas pessoas estariam agindo de moto na região sul da cidade

Bruno Ribeiro, O Estado de S. Paulo

21 Maio 2014 | 15h44

SÃO PAULO - O secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto, afirmou na tarde desta quarta-feira, 21, antes de iniciar uma reunião com o secretário de Segurança Pública, Fernando Grella, que a cidade de São Paulo já tem 15 ocorrências de pessoas armadas que invadiram ônibus, roubaram as chaves dos veículos e cortaram as correias dos motores. Essas pessoas estariam agindo de moto na região sul da cidade.

Um assessor de Tatto citou localidades como a Avenida Dona Belmira Marim, Jardim Cocaia, a região do Grajaú e da Cidade Dutra como as áreas onde ocorreram esses ataques. O secretário disse que iria solicitar a Fernando Grella apoio para garantir segurança aos motoristas que tentam trabalhar.

A reunião entre os dois secretários começou às 15h30. A expectativa de que de ambos os secretários se pronunciem em entrevista coletiva ainda nesta tarde.

Sabotagem. Mais cedo, Tatto voltou a classificar o movimento como uma sabotagem e anunciou a suspensão do rodízio na tarde desta terça-feira. Segundo o secretário, o sindicato que representa as empresas e ônibus tenta buscar junto à Delegacia Regional do Trabalho a decretação da ilegalidade do movimento grevista que prejudica a cidade desde esta terça-feira, 20.

Na prática, isso significaria a possibilidade de demissão por justa causa de motoristas e cobradores que participam do movimento, não reconhecido pelo sindicato oficial que representa a categoria.

Mais conteúdo sobre:
São Paulo violencia greve de onibus

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.