Homem que espancou filho recém-nascido é condenado a 18 anos de prisão em SP

De acordo com sentença, criança perdeu habilidades após ser agredida continuamente por três meses

Carolina Spillari, estadão.com.br

13 de junho de 2011 | 13h29

SÃO PAULO - O mecânico Michelangelo Braco foi condenado a 18 anos de prisão, em regime inicial fechado, após espancar o próprio filho, um recém-nascido, em 1991. Segundo o Tribunal de Justiça de SP (TJ-SP), ele era acusado por tentativa de homicídio duplamente qualificado.

 

De acordo com a sentença, dada pelo 5º Tribunal do Júri de São Paulo na última terça-feira, Braco agrediu o filho entre dezembro de 1990 e fevereiro de 1991 na casa onde moravam, em Pinheiros, zona oeste da capital. As lesões graves deixaram o bebê sem capacidade por mais de um mês.

 

Na decisão, o juiz Emanuel Brandão Filho assinalou que a "a vítima, com então dois meses de idade, experimentou sequelas terríveis e irreversíveis, tais como o baixo limiar quanto aos estímulos visuais, auditivos e cutâneos, ausência de interação adequada com o meio, a coordenação motora prejudicada, o nível de compreensão e desenvolvimento 'neuro-psico-motor' e sensorial muito prejudicados".

 

Se recorrer, Braco terá de aguardar o julgamento de recurso e deverá aguardar um eventual recurso na prisão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.