Marcelo Chello/Estadão - 04/05/22
Marcelo Chello/Estadão - 04/05/22

Homem é preso após invadir casa e manter seis pessoas reféns em Moema, zona sul de São Paulo

Não houve feridos após negociações conduzidas pelo Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate); um dos reféns era um idoso de 91 anos

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

27 de maio de 2022 | 12h09

Um homem foi preso após invadir uma casa em Moema, na zona sul de São Paulo, e fazer ao menos seis pessoas reféns nesta sexta-feira, 27, de acordo com a Polícia Militar. Não houve feridos. Entre os reféns estava o proprietário da casa, um idoso de 91 anos, que atua no ramo da construção civil. 

As negociações para a liberação dos reféns foram conduzidas pelo Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) com participação da Polícia Civil e Polícia Militar. Os policiais afirmam que houve momentos de tensão porque o criminoso manteve uma das vítimas em seus braços com o revólver 38 engatilhado. Ao todo, 11 pessoas estavam na casa no momento da invasão, que ocorreu por volta das 10h30. Cinco conseguiram fugir. As outras viraram reféns, entre elas, um idoso de 91 anos, o filho e o neto, além da enfermeira. 

"É uma ocorrência de muito risco. O vagabundo estava com a arma engatilhada. Poderia ter um disparo acidental. Os negociadores do Gate foram excelentes. Os negociadores fizeram de tudo para evitar que ele tirasse o dedo do gatilho. Foi muito risco. Eu temia a morte de alguém", afirmou Osvaldo Nico Gonçalves, novo delegado-geral da Polícia Civil de São Paulo e que também participou das negociações. 

A ocorrência começou quando dois assaltantes invadiram o endereço na Avenida Quarto Centenário, no Jardim Lusitânia, na região nobre da cidade. Uma das pessoas conseguiu acionar os policiais. Quando os assaltantes tentaram fugir, um deles foi ferido e acabou preso. O outro assaltante entrou na residência onde fez uma família refém.

De acordo com os policiais, o criminoso ficou por mais de uma hora com os reféns em um cômodo da residência. Ele se rendeu no início da tarde, por volta das 12h, após uma videoconferência com o advogado e a chegada de sua mulher ao local do assalto. Não houve resistência. Os policiais negaram as informações iniciais do início da manhã que indicam o roubo a outra residência na região. 

O delegado-geral afirma que o criminoso já tem passagens pela polícia e cumpre o regime semiaberto de prisão. "É um ladrão de residências com várias passagens. Está no regime semiaberto e vai voltar. Agora, vamos quebrar o semiaberto dele e vai voltar para a cadeia. Ele entrou e saiu; entrou e saiu (da prisão). Podia ter matado alguém", afirmou o delegado Nico Gonçalves. 

A ocorrência foi registrada pelo Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) como roubo, sequestro e cárcere privado. A PM não divulgou as identidades dos criminosos.

O Estadão mostrou que os roubos cresceram 14,9% em abril no Estado de São Paulo na comparação com o mesmo mês do ano passado. Já os furtos subiram 37,8%, segundo dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP). O cenário mantém a tendência de alta do 1º trimestre deste ano. Os indicadores seguem abaixo ou em patamar similar aos números apresentados no período pré-pandemia.

Dados divulgados pela SSP nesta quarta-feira, 25, apontam que houve 19.215 registros de roubo no Estado em abril, ante 16.722 no mesmo período do ano passado – alta de 14,9%. No mesmo mês de 2019, foram 20.780 ocorrências, total 7,53% maior do que o índice deste ano.

Tudo o que sabemos sobre:
Moema [São Paulo]assalto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.