Homem faz filha da ex-mulher refém na zona sul

Eletricista ameaça a vítima, de 14 anos, com um facão; Gate isola a área e negocia a libertação

José Dacauaziliquá, do Jornal da Tarde,

17 de novembro de 2008 | 01h01

Um eletricista mantém a filha da ex-mulher refém no Jardim Novo Horizonte, Grajaú, em uma casa na zona sul de São Paulo. O cárcere começou por volta das 13 horas de domingo, 16.   Segundo a polícia,o eletricista, de 62 anos, identificado só como Jorge, ameaçava a vítima, de 14 anos, com um facão. O Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) foi chamado às 16 horas pela polícia local, que já negociava a rendição.   A adolescente teria voltado à casa do ex-marido da mãe,a dona de casa Elda Alves Pereira, 44 anos, para buscar documentos. Segundo a polícia, os dois teriam começado a discutir. O casal estava separado há dois meses após 3 anos e meio de relação. "Eles discutiam muito", disse Marclan Rodrigues, primo de Elda.   Elda chegou ao local logo após o início do cárcere e permanecia junto aos policiais. Segundo a polícia Jorge, ofereceu libertar a menina em troca da mãe dela. "Jorge já botou a cara duas vezes na janela e pediu para a polícia atirar", completou Marclan, o primo de Elda.   O acusado está trancado no banheiro com Juliana. Segundo a polícia, o eletricista escorou a porta e retirou a lâmpada. O contato entre ele e policiais militares do Grupo de Ações Táticas Especiais (GATE) é feito através da janela. Os policiais à 1h30 desta segunda-feira afastaram a imprensa, mantendo os repórteres distantes um quarteirão, numa rua paralela à rua onde fica a casa do eletricista, localiza na rua Rio Colônia.   Segundo o tio da menina Silvio César do Carmo, o crime teria sido premeditado e a briga do eletricista com a ex-mulher seria uma dívida de 36 mil reais que Elda tem com Jorge, valor que teria sido gasto na reforma de algumas casas de aluguel na Vila Natal pertencentes à dona de casa.   (Colaboraram Ricardo Valota, do estadao.com.br, e Daniela Do Canto, do Jornal da Tarde)   Texto atualizado às 4 horas

Tudo o que sabemos sobre:
seqüestroGrajaú

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.