Homem é suspeito de matar ex a tiros na zona sul de SP

Homem é suspeito de matar ex a tiros na zona sul de SP

Segundo o pai da vítima, o crime teria ocorrido após uma discussão. O suspeito ainda está foragido

Redação, O Estado de S.Paulo

03 de janeiro de 2021 | 11h22

Uma estudante de 26 anos morreu depois de ser baleada dentro de um apartamento na zona sul de São Paulo na noite de sábado, 2. Segundo relatos, o autor dos disparos é o ex-companheiro da vítima. Ele também feriu o pai da mulher com tiros na região do abdômen e no rosto. Mãe e irmão da vítima também ficaram feridos. De acordo com a PM, o homem teria fugido do local em um Uno branco. O crime foi registrado como feminicídio. 

O nome da jovem, segundo a polícia, é Amanda Linhares. A polícia informa que o pai da vítima disse que o crime teria ocorreu após uma discussão entre a filha e o suspeito. Amanda decidiu sair de casa após uma briga durante as festas de final de ano. O suspeito pelo crime não teria aceitado o fim do relacionamento.

Nos últimos dias, Amanda estava dormindo na casa dos pais. O ex-companheiro começou a fazer repetidas ligações para convencer Amanda a reatar. Ela aceitou conversar, com a condição de que os pais também estivessem presentes. Ao chegar no apartamento do ex, Amanda e os parentes não encontraram ninguém. Quando já estavam de saída, ele apareceu e teria iniciado uma discussão.

O pai de Amanda foi atingido ao tentar separar a briga entre o casal. Amanda foi atingida com um tiro na cabeça.

Os feridos foram encaminhados para o Pronto-Socorro do Hospital da Pedreira, Hospital de Piraporinha e Hospital Saboya. O caso foi registrado no 98° DP (Jardim Miriam), mas encaminhado ao 80º DP (Vila Joaniza), responsável pelas investigações.

Juíza morta no Rio. Na véspera de Natal, a magistrada Viviane Vieira do Amaral, de 45 anos, foi assassinada na Barra da Tijuca, no Rio, pelo ex-marido, Paulo José Arronenzi, de 53 anos, com 16 facadas. 

O crime foi cometido na frente das três filhas, que têm entre 7 e 9 anos. O assassino foi preso em flagrante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.