Homem é preso por atirar criança de 2 anos no chão em SP

Suspeito é tio da criança, que chegou a ser socorrida, mas morreu no hospital

Flávia Tavares, estadão.com.br

09 de agosto de 2011 | 12h59

SÃO PAULO - Um homem de 54 anos foi preso em flagrante ontem, acusado de homicídio por ter atirado uma criança de 1 ano e 10 meses no chão. Ednaldo Inácio Soares é tio-avô de Ágata e, de acordo com familiares, tem um histórico de violência e toma remédios controlados.

 

Ednaldo mora na Favela da Paz, no Limão, com a irmã, Gedalva, avó da menina, e a ajuda numa pequena venda. A garota dormia e a avó varria o quintal quando Ednaldo teria pegado Ágata no colo e jogado no chão. "No depoimento, ele diz que a garota chorava muito e estava perturbando, mas que não lembra de nada depois de ter pego a menina no colo", diz a delegada Karla Regina Teixeira, do 20º Distrito Policial, da Água Fria. "Mas a avó garante que Ágata estava dormindo, não chorava, e que quando ela entrou no quarto viu o irmão ao lado do corpo ensanguentado."

A menina ainda chegou a ser levada ao Hospital Cachoeirinha, onde deu entrada às 10h30, mas teve um traumatismo craniano e não resistiu. Na porta da delegacia, o manobrista Tiago Camilo, pai da criança, chorava muito e era amparado por familiares. "Domingo é dia dos pais. Que presente é esse? Minha filha era tão amorosa", dizia. A mãe da menina, Cristiane, passou mal e não foi depor. Sérgio Inácio, tio de Ágata, relata que, embora Ednaldo "sempre tenha sido agressivo e arrumado confusão", a menina era apegada a ele.

A delegada Karla Regina Teixeira disse que não há nenhum laudo que indique que Ednaldo tenha algum tipo de doença mental e que vai indiciá-lo por homicídio qualificado com motivo fútil.

 

Texto atualizado às 17h08.

Tudo o que sabemos sobre:
criançaagressãomorte

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.