Homem é preso após tentar beijar menina de 11 anos

Caso ocorreu na madrugada de terça-feira, durante uma festa de carnaval em Itupeva, região de Campinas; segurança observou a cena e deteve o acusado, entregando-o à polícia

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

17 Fevereiro 2015 | 19h04

(Atualização às 20h25)

SOROCABA – Um homem de 23 anos foi preso após tentar beijar à força uma menina de 11 anos no início da madrugada desta terça-feira, 17, em uma festa de Carnaval, em Itupeva, região de Campinas. De acordo com a mãe da adolescente, o rapaz, que aparentava estar embriagado, agarrou a garota e tentou beijá-la na boca durante o carnaval de rua da cidade. Na tentativa de se desvencilhar, a menina sofreu escoriações no braço e no pescoço.

Um segurança da festa observou a cena e deteve o rapaz, entregando-o à Polícia Militar. O suspeito foi levado para o plantão da Polícia Civil e acabou sendo iniciado com base na Lei 12.015/2009, que alterou o Código Penal e passou a considerar estupro o ato libidinoso praticado por meio de violência. No caso, a conduta do suspeito é agravada pelo fato de a ofendida ser uma criança.

No plantão da Polícia Civil, os policiais militares que conduziram o rapaz relataram que ele estava bêbado e "doidão" e que, antes de atacar a garota, teria agarrado e tentado beijar outra menina. A polícia não conseguiu localizar a segunda suposta vítima. Ainda segundo o relato dos PMs, quando o homem foi detido, várias testemunhas o agrediram e ele precisou se protegido pelos seguranças para que não fosse linchado.

O acusado, R.P.J. (a Polícia Civil divulgou apenas as iniciais), foi levado para o Centro de Triagem de Campo Limpo Paulista, na mesma região, e continuava detido no final da tarde. A polícia não informou se ele já tinha antecedentes criminais. A garota foi atendida pelos pais, que a acompanhavam na festa. Ela deve passar por exame de corpo de delito na quarta-feira, 18. O evento foi organizado pela prefeitura da cidade e terminou por volta das 2 da madrugada.

Mais conteúdo sobre:
violência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.