Homem é preso após negociar desinterdição de boate Bahamas

A prisão aconteceu no saguão do Aeroporto de Congonhas; homem pediu R$ 50 mil para reabrir boate

Elvis Pereira, do estadao.com.br,

17 de agosto de 2007 | 19h04

A Polícia Civil deteve nesta sexta-feira, 17, um homem acusado de tentar se passar por um fiscal da Prefeitura e cobrar R$ 50 mil para desinterditar a boate Bahamas, situada na zona da capital paulista. A prisão ocorreu no saguão do Aeroporto Internacional de Congonhas, por volta das 17h30.   Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), A.G.S., de 35 anos, negociaria a liberação com representantes do proprietário do estabelecimento, o empresário Oscar Maroni Filho, preso na madrugada da última terça-feira, 14.   A subprefeitura da Vila Mariana fechou a boate no último dia 3. O local possuiria Termo de Consulta de Funcionamento (TCF), emitido pela Prefeitura para serviço de hospedagem, hotel e restaurante e boate. Maroni, no entanto, teria admitido em entrevista que no Bahamas havia "prostituição de luxo", atividade não licenciada.

Tudo o que sabemos sobre:
BahamasMaronifalso fiscal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.