Estudante de Engenharia é morto após reagir a tentativa de assalto na zona sul de SP

José Guilherme Alves de Andrade Filho caminhava por ciclofaixa quando foi abordado por um bandido em uma moto

Fabio Leite, O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2017 | 20h25
Atualizado 30 de junho de 2017 | 22h09

O estudante de Engenharia e barman José Guilherme Alves de Andrade Filho, de 31 anos, foi morto com um tiro na nuca, na madrugada desta sexta-feira, 30, após ter reagido a uma tentativa de assalto quando voltava a pé para a casa, na Chácara Santo Antônio, bairro da zona sul de São Paulo. O assassino fugiu sem levar nada e o crime está sendo investigado pelo Departamento Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civil.

O bandido chegou em uma moto para roubar o celular da vítima, por volta da meia-noite, na Rua Fernandes Moreira, próximo do Shopping Morumbi, região de Santo Amaro. A ação foi registrada por uma câmera de segurança de uma das casas da via. As imagens, que já estão com a polícia, mostram Andrade Filho reagindo quando o assaltante pega seu celular. Na briga, a moto cai no chão e o criminoso saca uma arma e dispara contra o rapaz, que morre em seguida. O assassino fugiu na contramão sem levar nada. 

“Estava na sala assistindo TV com meu pai quando ouvimos dois tiros e depois o barulho da moto fugindo. Quando a polícia chegou, nós saímos de casa para ver e ele já estava completamente sem movimento no chão”, diz o designer Guilherme Ponto, de 24 anos, que mora a 20 metros do local do crime.

Até o início da noite desta sexta, a polícia ainda não havia identificado o criminoso, que estava em uma moto escura e usava capacete. Imagens de câmeras de ruas vizinhas usadas na rota de fuga já foram recolhidas e devem ajudar os investigadores a identificar o veículo e localizar o assassino. 

Perfil. Andrade Filho morava com os pais em uma casa a cerca de 100 metros do local onde foi morto. Segundo seu perfil no Linkedin, o jovem terminaria no ano que vem um curso de Engenharia Mecânica na Universidade Anhembi Morumbi. No Facebook, ele declara ter estudado em uma universidade na Flórida, nos Estados Unidos, e que atualmente trabalhava como barman em casas noturnas.



Moradores da Rua Fernandes Moreira disseram que a via costuma ser tranquila, mas que o crescimento populacional da Chácara Santo Antônio, com a construção de grandes prédios residenciais, elevou os índices de criminalidade, principalmente roubos de celulares de pedestres e assaltos a casas e apartamentos. “Poucos meses atrás, roubaram o celular da minha irmã aqui perto, na rua também”, conta o designer Guilherme Pinto.

A ciclofaixa onde Andrade Filho foi abordado é bastante utilizada tanto por pedestres quanto ciclistas. Na tarde desta sexta, logo após o crime, muitos que passaram pela via procuravam no chão algum vestígio do homicídio. Um ciclista que passava pelo local alertou uma mulher que passeava com um carrinho de bebê sobre o ocorrido. “Cuidado nessa região, senhora, mataram um homem exatamente aqui nesta noite.”

Mais conteúdo sobre:
São PauloSanto Amaro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.