Homem é expulso por criticar a piloto

Passageiro causou tumulto ao notar que mulher era comandante e se recusar a viajar; avião da Trip saía de Belo Horizonte para Goiânia

NATALY COSTA, O Estado de S.Paulo

23 de maio de 2012 | 03h04

Um passageiro foi expulso de um avião da Trip após dizer que se recusaria a permanecer em um voo pilotado por uma comandante mulher. O incidente ocorreu na noite de sexta-feira em um voo que partiria do Aeroporto de Confins, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, para Goiânia.

Segundo a empresa, o passageiro causou "tumulto" ao embarcar e perceber que o piloto era mulher. "A comandante convidou educadamente esse senhor a sair da aeronave", afirmou a companhia, em nota.

A Polícia Federal foi chamada para escoltá-lo para fora do avião e o voo decolou em seguida, com uma hora de atraso.

O nome do passageiro e da comandante não foram revelados pela Trip, que repudiou a atitude machista. "A companhia ressalta que não tolera comentários ou atitudes preconceituosas que constranjam seus funcionários ou passageiros, sob qualquer justificativa."

Se comparado ao de homens, o número de mulheres no comando de aviões ainda é pequeno, mas cresce a cada ano. Hoje elas representam cerca de 1,5% dos quase 14 mil pilotos de avião no País. A quantidade de novas licenças emitidas pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para mulheres, que foi de apenas 44 em 2009, praticamente dobrou em 2010 - foi para 86. Até julho de 2011, data do último balanço da Anac, foram 68.

Todas as companhias nacionais têm mulheres em seu quadro de comandantes ou copilotos. Para um dos diretores do Sindicato Nacional dos Aeronautas, Carlos Camacho, que também é comandante, um preconceito desse tipo é "completamente indefensável".

"Tive várias mulheres alunas e todas são aplicadas, empenhadas no que fazem, tanto ou mais do que os homens. Nunca vi uma ser reprovada", diz. "Há muito tempo não ouço falar nem em chacota com mulheres comandantes. Isso foi superado", afirma Camacho.

Requisitos. Para ser piloto de linha aérea, é preciso ter mais de 21 anos de idade, ensino médio completo e ter sido aprovado em testes da Anac. A habilitação exige também 1,5 mil horas de voo como piloto e, desse total, 250 horas têm de ser como piloto em comando.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.