HÉLVIO ROMERO/ESTAD?O
HÉLVIO ROMERO/ESTAD?O

Homem é encontrado morto na Praça da República; pai diz que vítima iria a bloco de carnaval

Natural de Campo Grande, homem estava na cidade como acompanhante médico do pai e saiu no domingo para curtir a festa na cidade; polícia instaurou inquérito e apura o caso

O Estado de S.Paulo

08 Fevereiro 2018 | 18h19

SÃO PAULO - Um homem de 30 anos foi encontrado morto na segunda-feira, 5, na Praça da República, no centro de São Paulo. Segundo a família, ele havia saído para aproveitar a festa de blocos de pré-carnaval na cidade durante o domingo, 4, mas não retornou, o que levou os parentes a iniciarem as buscas. O caso foi registrado como morte suspeita e a polícia instaurou inquérito para apurar as circunstâncias da morte.

+ Fim de semana de pré-carnaval termina com 3 foliões mortos e 2 feridos em SP

Segundo informações de parentes concedidas em entrevista à TV Globo, Bruno Lima da Silva, natural de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, estava na cidade acompanhando seu pai, Roberto Lopes da Silva, que passou por um transplante e se recuperava da operação. No domingo, saiu dizendo que aproveitaria a festa na cidade. “Ele saiu alegrão. ‘Vou ver o carnaval, pai’, me disse”, relatou Roberto Silva à Globo.

Diante do sumiço do garoto, e com informações de que o seu cartão de crédito estava sendo usado para compras de grandes valores, Roberto Silva foi à delegacia e registrou um boletim de ocorrência por desaparecimento. O corpo de Bruno foi encontrado na segunda, mas o reconhecimento pelo pai no Instituto Médico Legal (IML) central ocorreu na terça. Bruno foi sepultado nesta quinta-feira, 8, em Campo Grande. 

“Isso não tinha porque acontecer. Foi uma tragédia”, disse a mãe, Maria Geni, à Globo. De acordo com informações da Secretaria da Segurança Pública, o 3.º DP (Campos Elíseos) investiga o caso em inquérito policial. “O caso foi registrado como morte suspeita na segunda-feira, 5, quando a vítima foi encontrada desacordada na Praça da República, encaminhada ao hospital, mas já sem vida. Como não estava com documentos, o corpo foi levado ao IML central, onde foi realizado exame necroscópico e o reconhecimento”, disse.

A reportagem questionou a pasta sobre as principais suspeitas do caso, mas a Secretaria apenas disse que “a investigação segue em andamento”. Além desse caso suspeito, o pré-carnaval em São Paulo deixou outras três pessoas mortas de forma violenta. Duas pessoas foram baleadas e mortas por um frentista durante uma briga na Avenida Rebouças e um jovem morreu eletrocutado ao encostar num poste com uma câmera irregular. O frentista teve a prisão temporária decretada e a polícia investiga a instalação do equipamento no poste e a relação com a morte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.