Homem é detido na BA por tentar extorquir pai de desaparecido

A tentativa de extorsão começou na semana passada, após a divulgação da recompensa pelo engenheiro

Brás Henrique, O Estado de S. Paulo

17 de julho de 2008 | 15h21

Raimundo Santos, de 25 anos, foi preso em Ilhéus (BA), por tentativa de extorsão do engenheiro Antonio Carlos Ratto, de 57 anos, pai do menino Lucas Pereira, de 3 anos, desaparecido em 21 de junho. O pai distribuiu panfletos com fotos do filho e ofereceu R$ 30 mil por informações que possam levar à localização de Lucas e algumas pessoas tentam se aproveitar da situação de desespero da família. "Isso sempre causa desgaste e malandro não falta", disse Ratto, que, apesar disso, mantém a recompensa.  Santos foi ouvido pela polícia baiana e liberado. Seu indiciamento dependerá da Polícia Civil de São Carlos, que continua investigando o desaparecimento do menino. A tentativa de extorsão de Santos começou na semana passada, após a divulgação da recompensa pelo engenheiro. Em três ligações, Santos disse que Lucas estaria num sítio em Ilhéus, que tinha sido seqüestrado por um irmão, e pediu ao engenheiro R$ 900 para alugar um carro e levar o menino até Guarulhos. Sem saber, estava sendo monitorado pela polícia. Mas o próprio Santos, que sabia do risco que corria, facilitou, informando o número da agência bancária e da conta corrente.  Ele foi detido na quarta-feira, 16, quando terminava um telefonema para Ratto num orelhão. Ratto lamentou a perda de tempo com Santos e com outras pessoas que passam trotes, já que os telefonemas não cessam."Tinha outras histórias mais engendradas", lembrou o engenheiro, acreditando que, com a prisão de Santos, os trotes terminem ou diminuam sensivelmente. Ele continua esperançoso em obter informações sobre o paradeiro do filho. Ratto é funcionário da Petrobrás. Ele pediu uma licença do serviço para procurar por Lucas. Agora está em período de folga, que termina daqui a duas semanas.  Ratto trabalha como gerente de plataforma, em alto-mar, no Rio, onde mora: geralmente trabalha 15 dias seguidos e folga 21. Lucas desapareceu de perto da casa da avó, quando brincava com o irmão de 8 anos. Informações sobre o menino podem ser passadas aos telefones 190, 197, 181 (Disque-Denúncia) e pelo (16) 3374-1596.

Tudo o que sabemos sobre:
golpemenino desaparecido

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.