Estadão
Estadão

Homem é conduzido à delegacia após ser pego pichando muro em SP

Prefeitura fala em 41 detidos apenas neste mês e reforça que entrará com ação para cobrar pelos danos

Juliana Diógenes, O Estado de S.Paulo

30 Janeiro 2017 | 12h07
Atualizado 30 Janeiro 2017 | 21h16

SÃO PAULO - Os primeiros pichadores começaram a ser flagrados e presos por meio de denúncia anônima, após parceria da Prefeitura com taxistas para que “vigiem” o espaço público e denunciem a ação. Nesta segunda-feira, 30, um homem foi detido no Viaduto Santa Generosa, na zona sul da capital, depois que um motorista de ônibus viu a ação e denunciou à Guarda Civil Metropolitana (GCM).

Thiago Luano Vaz de Sousa, de 32 anos, foi abordado por agentes da GCM e portava quatro latas de spray. Segundo o boletim de ocorrência, os guardas-civis foram avisados por um motorista de ônibus sobre a ação do homem em um muro próximo do viaduto. 

Sousa estava desenhando uma pessoa, em tinta preta e amarela, e disse que a ação era um protesto contra o governo. Ele assinou um termo circunstanciado no 27.º Distrito Policial (Ibirapuera) e se comprometeu a comparecer à Justiça. 

“Os guardas-civis rumaram ao local indicado, onde tiveram êxito em abordar o pichador. Ao indagá-lo, disse que faz parte de um grupo denominado ‘Multimídia, de animação, fotografia e desenho’ e que já havia feito outras pichações, com autorização da Prefeitura, em lugares predeterminados, porém, sem indicar o local”, informou o boletim de ocorrência. 

Segundo o secretário municipal de Segurança Urbana, coronel José Roberto Rodrigues de Oliveira, a Prefeitura já recebeu denúncias também de taxistas e funcionários municipais. Mas negou que haja orientação de denúncia específica por motoristas de ônibus. 

Em nota, a gestão diz que todos os cidadãos podem colaborar no combate a qualquer tipo de ato ilícito, incluindo as pichações. Já o presidente do Sindicato dos Motoristas de Ônibus, Valdevan Noventa, declarou apoio da entidade à iniciativa. “Vamos contribuir.” 

Balanços diferentes. A administração municipal divulgou na noite desta segunda um balanço de 41 pichadores detidos entre os dias 1.º e 30. “Todos eles serão alvo de ações civis públicas em que a Prefeitura solicitará o pagamento de multa judicial e ressarcimento dos danos”, informa. A gestão Doria pretende ainda aumentar de R$ 767,53 para R$ 5 mil a multa para quem for pego pichando. Para reincidentes, o valor será dobrado.

Nesta segunda, a Secretaria da Segurança informou, por meio de nota, números diferentes. As delegacias da capital registraram 29 adultos detidos e 4 adolescentes apreendidos por pichação neste mês. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.