Homem é condenado por tentar matar motorista em Marília

Sua verdadeira vítima era jornalista do 'Diário de Marília', mas se enganou e fez disparos contra motorista

Jair Aceituno, especial para O Estado de S.Paulo

25 de junho de 2008 | 16h39

Evandro Quini foi condenado a nove anos e quatro meses na noite de terça-feira, 24, e sua ex-mulher, Luverci Luque, a sete anos e seis meses, pelo Tribunal do Júri de Marília, acusados da tentativa de homicídio contra o jornalista José Ursilio, do jornal Diário de Marilia, ocorrida no dia 18 de julho de 2006. Munido de uma pistola, o réu acompanhou o motorista Almir Adalto Marcelo, que saia do prédio onde funcionam o jornal e duas emissoras de rádio, no centro da cidade e tentou matá-lo. O primeiro tiro falhou, houve luta entre ambos e o agressor fugiu, depois de haver feito três disparos, que não atingiram a vítima. Preso a poucos metros do local, disse "eu matei o José Ursílio". Na verdade, havia confundido o motorista com o jornalista e quase matado homem errado. As investigações levaram a Luverci como co-autora, pois foi ela o elo de ligação entre Evandro e os mandantes do crime, o advogado João Simão Neto e o ex-policial rodoviário federal Ademilsom Domingos de Lima, ambos envolvidos nos crimes apurados pela Operação Oeste da Polícia Federal. Escutas telefônicas revelaram que Simão e Lima haviam prometido R$ 10 mil pela morte do jornalista, de quem são desafetos. Ambos foram denunciados pelo crime e também deverão ir a júri.

Tudo o que sabemos sobre:
Diário de MaríliaMaríliajulgamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.