Homem é condenado a 24 anos de prisão por pedofilia

Desempregado abusava de menina de 9 anos, sobrinha da sua ex-namorada, na cidade de Bilac

Chico Siqueira, especial para O Estado de S.Paulo

30 de outubro de 2008 | 20h49

O desempregado Maycon Januário, de 24 anos, foi condenado a cumprir 24 anos de prisão e a pagar multa de R$ 41,5 mil à família de uma menina de 9 anos molestada sexualmente por ele no primeiro semestre deste ano. O crime aconteceu na pequena Bilac, de 6,5 mil habitantes, a 523 quilômetros de São Paulo. "Ele se aproveitava da garota, que é sobrinha da ex-namorada. Quando ela ia à casa da tia brincar com as primas, ele a molestava", contou o delegado da cidade, Alexander Lopes Dias.  O crime, ocorrido entre fevereiro e abril deste ano, só foi descoberto depois que a mãe percebeu mudanças de comportamento da filha e decidiu denunciar a suspeita à polícia. De acordo com o delegado, Maycon está foragido da Justiça e é alvo da Interpol, que o procura por crime de pedofilia. "Ele está na lista dos pedófilos procurados pela Polícia Internacional", disse o delegado.  A sentença de Maycon foi dada pelo juiz João Sanches Batagello, que o condenou pelo crime de atentado violento ao pudor. A sentença, do dia 21 de outubro, só foi divulgada nesta quinta-feira, 30. Januário, que até então não tinha passagens pela polícia e cuja família é considerada de boa índole na cidade, não compareceu às audiências, incluindo a de julgamento, o que agravou a pena. Na fase de inquérito, ele negou as acusações em depoimentos dados à polícia.

Tudo o que sabemos sobre:
pedofiliaabuso sexual

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.