Google Street View
Google Street View

Analista é vítima de latrocínio em frente a padaria em Alto de Pinheiros

Segundo a PM, vítima aguardava carro com namorada e reagiu a uma tentativa de assalto na Avenida Diógenes Ribeiro de Lima. Caso é investigado como roubo seguido de morte

Felipe Cordeiro, O Estado de S.Paulo

26 de janeiro de 2020 | 17h28
Atualizado 26 de janeiro de 2020 | 19h33

SÃO PAULO - Um analista de sistemas de 33 anos foi assassinado a tiros ao reagir a um assalto na frente de uma padaria em Alto de Pinheiros, na zona oeste de São Paulo, na manhã deste domingo, 26. Segundo informações iniciais, a vítima estava acompanhada da namorada e aguardava um carro de aplicativo no momento do crime.

O assassinato aconteceu em frente a uma unidade da padaria St. Etienne, na Avenida Diógenes Ribeiro de Lima. De acordo com a Polícia Militar, dois homens em uma motocicleta anunciaram o assalto, e o analista reagiu à abordagem. Um deles estava armado e atirou duas vezes na vítima.

Os policiais socorreram o homem e o levaram ao pronto-socorro do Hospital das Clínicas, também na zona oeste, mas ele não resistiu aos ferimentos. A mulher não teve ferimentos. A dupla fugiu sem levar nada. O caso foi registrado no 14º Distrito Policial (Pinheiros) como latrocínio (roubo seguido de morte). A delegacia deverá apurar as circunstâncias do caso e buscar por indícios que levem aos criminosos.

Latrocínios são raros na área do 14º DP. De acordo com dados da Secretaria da Segurança Pública, não houve nenhum caso de roubo seguido de morte na região em 2019 e, em 2018, foi somente um. A pasta divulgou dados relativos ao ano passado nesta semana. Em todo o Estado, 199 pessoas morreram em casos de latrocínio, uma redução ante os 278 registros do mesmo crime em 2018. 

Estado tem redução nos assassinatos

As 2.906 pessoas assassinadas em São Paulo em 2019 representam a menor quantidade de vítimas de homicídio registrada no Estado desde 2001, quando os dados começaram ser coletados de forma uniformizada. A taxa de 6,5 vítimas por 100 mil habitantes mantém as cidades paulistas como as menos violentas do País. Os dados divulgados nesta sexta-feira, 24, pela Secretaria da Segurança Pública mostram também queda nos roubos e latrocínios. Destoam da redução os números de feminicídio (alta de 34%), de estupro (alta de 3,5%) e de letalidade policial (alta de 1,8%). /COLABOROU MARCO ANTÔNIO CARVALHO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.