Homem é acusado de matar namorada na região central de SP

Boliviano teria chamado um carroceiro para se livrar do corpo, sob a justificativa de levar um sofá, segundo a polícia

ARTUR RODRIGUES, O Estado de S.Paulo

08 de junho de 2012 | 03h03

Um boliviano foi preso em São Paulo sob suspeita de matar a namorada de 17 anos, da mesma nacionalidade, e tentar contratar por R$ 50 um carroceiro para se livrar do corpo dela. A prisão ocorreu ontem no Bom Retiro, região central da cidade. De acordo com a Polícia Civil, ele acreditava que estava sendo traído pela adolescente.

Segundo o boletim de ocorrência, o suspeito, Jesus Ramiro Quister, de 24 anos, chamou um carroceiro ao prédio onde morava com a justificativa de que ele levaria um sofá. No entanto, ao chegar ao local onde o rapaz morava, o homem acabou descobrindo que na verdade o que seria transportado era o cadáver da adolescente Judith Karen Mendoza Alanoc.

O carroceiro procurou a polícia depois disso. Policiais militares da Força Tática do 13.º Batalhão foram até o local do crime, um prédio invadido, com vários quartos vazios. Lá, eles localizaram o corpo da vítima. A jovem estava sobre uma cama com os braços e pernas amarrados com uma corda. O suspeito, no entanto, não estava lá.

PMs descobriram que Quister havia fugido em um táxi havia pouco tempo. O rapaz foi achado pelos policiais na casa da mãe dele, que ainda não sabia o que havia acontecido. Após ser encontrado pela polícia, o suspeito teria confessado o crime, segundo o boletim de ocorrência.

Ainda de acordo com a polícia, Quister descreveu aos policiais como matou a moça. Segundo o relato, ela foi amarrada e asfixiada porque o rapaz imaginava que estava sendo traído pela jovem.

Indiciado. O boliviano foi preso em flagrante. Ele foi levado ao 77.º Distrito Policial (Santa Cecília). O delegado de plantão solicitou perícia do Instituto de Criminalística na cena do crime. O suspeito foi indiciado por homicídio qualificado. O celular da vítima e R$ 46 que estavam com o boliviano foram apreendidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.