Homem é acusado de matar mãe e padrasto e estuprar seis mulheres

Ocorrência, na madrugada de sábado, foi em Cidade Tiradentes, na zona leste da capital paulista

O Estado de S. Paulo

02 de novembro de 2014 | 14h21

SÃO PAULO - Um motorista de 22 anos foi preso em flagrante na manhã de sábado, 1.º, em Cidade Tiradentes, na zona leste da capital paulista, acusado de matar a mãe e o padrasto e, depois, estuprar ao menos seis jovens, quatro delas adolescentes. O caso está registrado no 48.º Distrito Policial (São Mateus) e seguirá sendo investigado pela Polícia Civil.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSP), o suspeito matou a mãe, de 46 anos, e o padrasto, um sargento reformado da Polícia Militar, de 55 anos, com uma faca. O homem levou 37 golpes com a arma branca e a mulher, quatro. 

O instrumento foi encontrado ao lado do corpo da mãe. Em seguida, segundo a SSP, o suspeito fugiu de casa usando seu carro, por volta das 4h. O veículo foi encontrado pela Polícia Militar no início da manhã na Rua Agrimensor Sugaya, com um pino de cocaína em seu interior. Perto dele, de acordo com a PM, estavam o agressor e duas adolescentes, de 12 e 16 anos. 

No caminho até a delegacia, as duas meninas contaram aos policiais do 48.º Batalhão de Policiamento Metropolitano (BPM), segundo a SSP, que haviam sido estupradas pelo rapaz. Elas também disseram que haviam estado em um motel com ele e também em sua casa, onde viram um dos corpos.

O suspeito teria fugido do motel sem pagar a conta, segundo a SSP. A polícia informou ainda que outras quatro mulheres, de 13, 16, 18 e 19 anos, compareceram ao 49.º DP para registrar boletins de ocorrência de estupro e acabaram reconhecendo o suspeito como o autor do crime. Ele estava armado durante as ações e abordou as vítimas oferecendo caronas a um show que acontecia nas imediações.

Em seu depoimento, o agressor negou os assassinatos. Ele disse que chegou por volta da 21h de sexta-feira, 31, à casa e encontrou mãe e padrastos mortos. Em seguida, disse ter saído da residência atrás de um homem que teria ameaçado o sargento. Depois, começou a consumir cocaína, encontrou as meninas e foi para o motel. O suspeito tinha cortes nas mãos. Em determinado momento de seu depoimento, assumiu a autoria dos dois assassinatos. Disse ainda que não se lembrava por que cometeu os crimes, já que estava sob efeito de drogas.

A SSP informou que as vítimas de abuso sexual foram encaminhadas para atendimento especial no Hospital Pérola Byington, na região central de São Paulo. Uma sétima mulher que, segundo as demais, também teria sido estuprada pelo homem, não havia prestado queixas e não foi localizada pela polícia.

A Polícia Civil pediu à Justiça a decretação da prisão preventiva do suspeito, que permanece preso em regime pré-cautelar. Ele será acusado de homicídio qualificado por motivo fútil, estupro, estupro de vulnerável e constrangimento ilegal.

De acordo com a SSP, o motel que recebeu o agressor e as menores será notificado pela Vara da Infância e da Juventude por infração ao artigo 250 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA): hospedar criança ou adolescente desacompanhado dos pais ou responsável ou sem autorização escrita desses ou da autoridade judiciária em hotel, pensão, motel ou congênere.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.