JB Neto/AE
JB Neto/AE

Homem achado morto em apartamento pediu ambulância para mulher

Polícia investiga casal que foi encontrado morto em Santana, zona norte de SP; em nenhum dos corpos havia sinais de estrangulamento, corte ou tiro

Julia Baptista e Bruno Lupion, estadão.com.br

08 de setembro de 2010 | 14h35

SÃO PAULO - O homem encontrado morto em um apartamento de Santana, zona norte da capital paulista, pediu que o zelador chamasse uma ambulância para sua esposa, que estaria passando mal, por volta das 11 horas de terça-feira, 7. De acordo com a síndica do prédio, quando o funcionário perguntou detalhes sobre o que estava acontecendo, Luis Carlos Coutinho, de 47 anos, teria dito que ele mesmo chamaria o socorro para Darlene Martins Prestes, de 54, o que não aconteceu.

 

A polícia investiga as mortes. Os corpos não têm sinais de estrangulamento, corte ou tiro. Eles foram achados pelo filho da mulher -- preocupado por não conseguir falar ao telefone com a mãe, ele foi ao local e se deparou com a cena. Darlene estava caída na lavanderia e Coutinho, no corredor da sala.

 

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, a mulher tinha uma secreção nasal amarela, e o homem, secreção bucal amarelada. O apartamento não apresenta sinais de arrombamento e estava em ordem, segundo a polícia. Foi apreendido o celular de Darlene, mas o de Luis não foi encontrado.

 

A delegada responsável pelo caso, Silvia Fagundes Theodoro da Silva, do 13º Distrito Policial (Casa Verde), solicitou ao Instituto Médico Legal a realização de necropsia e exames toxicológicos para determinar a causa das mortes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.