Hoje é dia de Obama, bebê!

Festa da vitória

Tutty Humor, O Estado de S.Paulo

08 de novembro de 2012 | 02h03

Articula-se nas areias do Posto 9 de Ipanema, reduto eleitoral natural de Barack Obama, a criação do bloco Os Indecisos de Ohio para o carnaval 2013.

Gesto amigo

Comenta-se em Nova York que o apoio sinalizado na TV pela tradutora-intérprete para surdos contratada pelo prefeito Michael Bloomberg foi decisivo na vitória de Obama.

Maratonista nato

Só se fala disso no Quênia, terra natal do pai de Obama: a "corrida eleitoral" está no DNA do presidente reeleito.

Marcação severa

William Bonner teve bons motivos para tirar na edição de terça-feira as luvas negras com que apresentou o Jornal Nacional de véspera direto de Washington. A patroa cismou que ele estava sem aliança!

Salve-se quem puder

Agora mesmo é que os Estados Unidos não vão dar ouvidos aos alertas da presidente Dilma sobre o "tsunami monetário". Os americanos estão apavorados com o "abismo fiscal".

Vai, Obama!

Entreouvido em alto e bom som emitido pela janela de um arranha-céu na noite de Chicago: "Chupa Mitt!!!" É impressionante como tem corintiano em todo lugar do mundo, né não?

Carente não é de hoje de bons motivos para comemorações, quase todo o planeta tirou uma casquinha da reeleição de Barack Obama para celebrar, enfim, um bom momento da humanidade - ô, raça!

Não necessariamente por afinidade ideológica com o democrata: o presidente americano é, convenhamos, o tipo de sujeito que todo mundo gostaria de encontrar em uma festa qualquer.

Parece que até na Grécia, antes do quebra-pau de ontem à noite, o dia amanheceu com gente dançando feliz nas ruas de Atenas. Não que por lá queiram mais quatro anos como esses que se passaram, mas ninguém aguenta viver o tempo todo indignado ou entristecido com tudo-isso-que-aí-está!

Torcedores palmeirenses, desempregados espanhóis, estudantes chilenos, rebeldes sírios, índios Kaiowás, monges tibetanos, veteranos da Praça Tahrir, seguidores da banda punk Pussy Riot, eleitores de Zé Serra, amigos do Zé Dirceu, enfim, de Angela Merkel a Hugo Chávez, todos tiveram um mísero instante de satisfação com a reeleição do Obama.

Se não chega a ser uma notícia espetacular, má também não é! Vamos lá, sorria, podia ser muito pior! Imagina só encontrar o Mitt Romney em uma festa!

Troca-troca

Barack Obama ligou para o Joaquim Barbosa ainda na madrugada de quarta-feira para agradecer o espaço na imprensa brasileira gentilmente cedido pelo ministro do STF ao presidente americano na reta final da campanha vitoriosa dos democratas. Aproveitou para desejar ao relator do processo do mensalão boa sorte nesse seu retorno às manchetes na reabertura do julgamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.