Hit 'Ai, Se Eu Te Pego' acaba desafiado nos circuitos baianos

Para música do carnaval, disputa inclui desde baladas para dançar a dois ao novo estilo black-semba

TIAGO DÉCIMO / SALVADOR, O Estado de S.Paulo

22 de fevereiro de 2012 | 03h01

Na quinta-feira, a disputa pelo título de "música do carnaval" parecia ser favas contadas. O hit-chiclete sertanejo Ai, Se Eu Te Pego parecia onipresente. Mas acabou desafiado.

O hit, composto por dois baianos - um empresário de entretenimento de Feira de Santana, Antonio Dyggs, e uma animadora de festas nascida americana, mas radicada em Porto Seguro, Sharon Acioly -, e interpretado pelo paranaense Michel Teló ganhou fama internacional. E a sensação de carnaval monotemático foi reforçada, nos primeiros dias, pela presença do próprio Teló na festa. Convidado de blocos famosos, como o Cocobambu, comandado pela banda Asa de Águia, o paranaense cantou dezenas de vezes o refrão.

Mas os dias passaram, Teló foi cantar em outras freguesias e perdeu o reinado. A canção continua entre as favoritas para faturar o título - na verdade, uma coleção de premiações oferecidas por dezenas de emissoras de rádio e TV, jornais e sites que transmitem a festa na Bahia -, mas surgiu espaço na festa para outras músicas.

As composições consideradas as "melhores" da folia baiana pautam as micaretas pelo País e garantem mais contratos a seus intérpretes. Músicas como Colorir Papel, do grupo Jammil, e Circulou, da Banda Eva, são duas fortes candidatas - no ritmo baladinhas para dançar a dois.

Em outro estilo, há o ritmo chamado black-semba, mais melódico, Inventando Moda, do cantor-compositor revelação Magary Lord, também ganhou bastante destaque. Com batida mais acelerada, Qui Belê, de Ivete Sangalo, é uma "ponte" entre as baladas e a axé music.

Claro que a axé music mais tradicional, cheia de coreografias, está também representada na lista das mais tocadas. Destaques para Madeira de Lei, do grupo Parangolé, Bate Cabelo, da banda Psirico, Sim, Sim, Não, Não, do Saiddy Bamba, e Uh Bebê, do cantor Tomate.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.