Helicóptero desaparece a caminho de Ilhabela

Aeronave foi vista pela última vez no dia 3, mas só ontem família acionou Aeronáutica; visibilidade fraca prejudicou buscas

Nataly Costa, O Estado de S.Paulo

11 Janeiro 2013 | 02h01

Um helicóptero com dois passageiros a bordo está desaparecido há uma semana no Estado de São Paulo. Um Robinson 66 de prefixo PR-DUB decolou às 14h46 do dia 3 de São José dos Campos, a 93 quilômetros da capital, e informou no plano de voo que estava seguindo para Ilhabela, no litoral norte paulista. O voo duraria cerca de uma hora.

Ontem, familiares dos ocupantes do helicóptero entraram em contato com a Força Aérea Brasileira (FAB) e pediram ajuda nas buscas.

As famílias dos passageiros são de Arujá, na Grande São Paulo - a aeronave teria saído de lá antes de chegar a São José dos Campos.

A última vez que o helicóptero foi visto no radar foi na região de Redenção da Serra, segundo a Força Aérea.

A Associação Brasileira de Pilotos de Helicóptero (Abraphe) pediu ajuda aos pilotos que sobrevoam a área e acredita que o sumiço pode ter acontecido na região da Represa de Paraibuna. Nenhum reporte de pouso de emergência ou pedido de socorro foi emitido nos últimos dias pelo helicóptero desaparecido.

Sob chuva e neblina, um avião FC-150 Amazonas da FAB, especializado em resgates, saiu ontem para fazer buscas na região, mas a operação foi prejudicada pela falta de visibilidade. Hoje, a procura será intensificada.

De acordo com a Assessoria de Imprensa da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a aeronave estava com todas as licenças em dia e era particular.

Estatísticas. A aviação civil brasileira bateu recorde de acidentes com aeronaves de pequeno porte no ano passado. Foram 168 registros, ante 159 em 2011. As estatísticas vêm crescendo na última década - houve 61 registros em 2002. É o maior número da série histórica e oficial, iniciada em 2000. Apesar disso, caiu o número de mortes: 71, ante 90 em 2011, segundo o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.